EUA tentam militarizar grupo Quad, China busca ampliar Brics – 22/05/2022 – Nelson de Sá

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


A Austrália elegeu um primeiro-ministro que fala chinês, anotou o Guancha, de Xangai. O South China Morning Post, de Hong Kong, manchetou que ele pode “acertar os ponteiros com a China”.

Mas o Global Times, de Pequim, destacou que a “cúpula Quad” nesta terça (24) é que “vai testar a sabedoria política do novo primeiro-ministro australiano”. Recém-eleito, ele já vai participar.

Por Financial Times e outros, os vazamentos sobre o encontro entre Estados Unidos, Japão, Índia e Austrália vão na direção de “priorizar a agenda de segurança” —como defendeu no final da semana a Foreign Affairs, de Washington.

As manchetes do FT desde sexta, a partir de anônimas “autoridades dos EUA”, apontam suposta expansão em acordos da China com pequenas nações do Pacífico, depois das Ilhas Salomão, e a resposta sugerida pelos EUA ao Quad, de “monitorar pesca ilegal da China” na região.

O Guancha reagiu com manchete em que afirma ser uma “nova desculpa” americana para “pressionar” Austrália e outros contra a China.

Mas o contra-ataque chinês, de fato, se dá noutra frente —o grupo comercial e financeiro Brics, de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. No South China Morning Post, “Membros do Brics apoiam proposta de expansão”, em nota conjunta na sexta.

Não foram indicados os novos países, mas entre os cotados, já presentes em reunião paralela de chanceleres, estão Argentina, Cazaquistão, Indonésia, Tailândia e Nigéria.

EM BUSCA DE GÁS

Os EUA também retomaram a militarização da África, em duas notícias do New York Times: “Biden aprova plano para reimplantar centenas de forças terrestres na Somália” e “Pentágono indica comandante das forças americanas na África“, que será “o primeiro general negro quatro estrelas dos marines”.

A escalada americana no continente se segue à decisão europeia de buscar na África a sua alternativa ao gás da Rússia, como já vinham noticiando veículos sul-africanos, chineses e russos.

Sem sucesso nas tentativas feitas antes no Oriente Médio, o primeiro-ministro alemão, Olaf Scholz, iniciou no fim de semana uma turnê africana. “Em busca de gás”, na chamada do Frankfurter Allgemeine Zeitung.

A FOTO

A agência de notícias Reuters despachou texto sobre disparada da varíola dos macacos em europeus e norte-americanos, mas com foto de um africano, três décadas atrás.

Entre outros, uma associação de jornalistas africanos questionou por que os veículos não estavam usando foto de europeu ou norte-americano: “a mídia está no negócio de preservar a pureza branca?”.

A Reuters mudou então a foto em seu site e a própria repórter registrou a mudança em mídia social, mas a imagem continua sendo reproduzida mundo afora.


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.



Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEPTAR
Aviso de cookies
Translate »