Queimadas no Brasil causam mais de 47 mil hospitalizações por ano

amazon celulares maior Vision Art NEWS


Mais de 47 mil pessoas são internadas em hospitais no Brasil todos os anos como consequência das queimadas. O dado vem de um estudo publicado na quarta-feira (8) na revista científica The Lancet Planetary Health.

Embora o Brasil ocupe um incômodo posto de protagonista no cenário das mudanças climáticas e desmatamento, com a ocorrência, somente neste ano, de 260 grandes incêndios na Amazônia (que queimaram 105 mil hectares), não havia ainda uma associação clara entre a exposição a partículas poluentes e admissão hospitalar por essa causa específica.

Nesse sentido, pesquisadores da Universidade Monash de Melbourne, na Austrália, realizaram o estudo, buscando particularizar o efeito da exposição diária a partículas de poluição geradas por incêndios na saúde da população brasileira, usando dados do período de 2000 a 2015.

QueimadaQueimada em estrada entre as cidades de Borrazopolis e Novo Itacolomi, no Paraná (créditos: Jair Ferreira Belafacce/Shutterstock)

Metodologia da pesquisa e achados

A série temporal nacional foi obtida através de dados de internações hospitalares diárias por causas cardiovasculares e respiratórias levantados junto ao Sistema Único de Saúde Brasileiro (SUS) em 1.814 municípios, entre 1º de janeiro de 2000 e 31 de dezembro de 2015. Essa série temporal foi ajustada com as concentrações diárias de poluentes, sendo tudo agrupado em níveis regionais e nacional, através do uso de meta-análises.

Esse procedimento, que combina resultados de vários estudos e faz uma síntese reproduzível e quantificável dos dados, constatou um aumento de 10 ug/mnas partículas finas (PM 2.5) no ar, relacionadas a incêndios florestais. Esse fenômeno gerou um aumento de 0,53% no total de hospitalizações gerais no Brasil. Isso representa 35 casos por 100 mil habitantes.

Esses números correspondem a mais de 47 mil pessoas hospitalizadas por ano no Brasil como consequência da inalação de poluentes de incêndios florestais, principalmente em cidades das regiões Norte, Sul e Centro-Oeste. As regiões Nordeste e Sudeste do país apresentaram taxas mais baixas. Os números revelam hospitalizações “particularmente altas em crianças de quatro anos ou menos, em crianças de cinco a nove anos e em pessoas com 80 anos ou mais”, segundo um comunicado sobre a pesquisa publicada pela Universidade Monash.

Os megaincêndios ocorridos após a pesquisa

O estudo analisou mais de 143 milhões internações hospitalares em 1.814 municípios brasileiros, durante os 16 anos de pesquisa, e o que chama a atenção é que os dados são anteriores aos megaincêndios ocorridos no Brasil em 2019 e no ano passado.

Embora muita gente não se preocupe com essas queimadas, pois elas ocorrem em áreas remotas, “a fumaça tóxica desses incêndios florestais na região amazônica pode subir de 2 mil a 2,5 mil km na atmosfera e viajar grandes longitudes, ameaçando pessoas a milhares de quilômetros de distância”, alerta o professor Guo.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

amazon computadores Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »
%d blogueiros gostam disto: