Porta aberta para nova alta da Selic, MP que muda regras do vale-alimentação e o que importa no mercado – 04/08/2022 – Mercado

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Esta é a edição da newsletter FolhaMercado desta quinta-feira (4). Quer recebê-la de segunda a sexta, às 7h, no seu email? Inscreva-se abaixo:


Porta aberta para mais juros

Conforme esperado pelo mercado, o Copom do Banco Central elevou nesta quarta (4) a Selic mais uma vez em 0,5 ponto percentual, para 13,75% ao ano.

Os analistas estavam mais ansiosos para os recados do comunicado: o Copom deixou a porta aberta para uma nova alta em setembro ao dizer que avaliará um avanço de menor tamanho (0,25 ponto).

O que explica: diante do maior aperto monetário do regime de metas de inflação (desde 1999), o mercado se divide entre a necessidade de o BC parar de subir os juros por aqui ou aumentar mais um pouco.

  • As incertezas locais e externas levaram o Copom a “avaliar” uma decisão para a próxima reunião, e não “antever”, como vinha fazendo nos comunicados anteriores.

  • Uma vez que o ajuste na Selic chega com atraso na atividade econômica, o BC abandonou há algum tempo a meta deste ano. A mira agora está principalmente para a inflação de 2023 e um pouco para a de 2024.

  • As projeções do mercado na pesquisa Focus pressionam a autoridade. Elas indicam IPCA de 5,33% para 2023 (a meta é de 3,25%) e de 3,3% para 2024 (meta de 3%).

O que muda nos investimentos: com mais juros e menos inflação projetada para este ano, a renda fixa se torna ainda mais atrativa, segundo projeções do buscador financeiro Yubb.

  • Debêntures incentivadas (7,85%), LCI (6,19%) e LCA (5,81%), sem incidência de IR (Imposto de Renda), lideram o rendimento real ( descontada a inflação ) em 12 meses.

  • Os CDBs de grandes bancos passaram a dar retorno de 0,97% acima da inflação prevista. A única aplicação do levantamento com retorno real negativo é a poupança (-0,91%). Veja como ficam os rendimentos de outros ativos.

  • Saiba aqui quanto rendem R$ 1.000 na poupança, CDB e Tesouro com a nova Selic.

Por que o diesel continua caro?

Com duas reduções seguidas anunciadas pela Petrobras e queda nas alíquotas de ICMS, os preços da gasolina vêm em uma sequência de baixa. Mas o mesmo não acontece com o diesel, combustível usado para o transporte de diversos itens consumidos pelos brasileiros.

O que explica:

– Alta demanda, pouca oferta: o diesel é o principal substituto do gás natural na Europa, cujo fornecimento pela Rússia foi limitado após a invasão na Ucrânia.

  • Os europeus têm aumentado seu estoque de diesel para enfrentar o inverno do hemisfério norte, já que o combustível também é usado no aquecimento das casas.

  • Sem acesso às refinarias russas, a Europa compra mais dos EUA, que é o principal fornecedor do diesel importado pelo Brasil –o país depende de cerca de 30% do combustível que vem de fora.

– ICMS: as alíquotas do imposto estadual para o diesel já eram menores que as aplicadas sobre a gasolina, então o teto de cerca de 17% sancionado em junho e aplicado pelos estados teve pouco efeito.

Em números: desde o fim de junho, quando o limite do ICMS começou a ser aplicado pelos estados, o preço da gasolina caiu 22,3% –ou R$ 1,65 por litro. O do diesel recuou apenas 2% –ou R$ 0,15 por litro.

  • Nesta quarta, os preços da gasolina no Brasil estavam 7% abaixo da paridade de importação, enquanto a diferença para o diesel era de 10%. Os dados são da Abicom, associação de importadores.

A situação pode mudar no curto prazo? Analistas do setor e a própria Petrobras não esperam queda nos preços do diesel até o fim do ano.

  • Além da chegada do inverno na Europa, a temporada de furacões nos EUA –que limita a produção nas refinarias– e o escoamento da safra (principalmente da soja) no Brasil são fatores de risco para o equilíbrio entre oferta e demanda nos próximos meses.

Congresso aprova saque do vale após 60 dias

O Congresso aprovou nesta quarta a medida provisória que muda as regras sobre o pagamento do vale-alimentação e que regulamenta o home office.

A principal alteração permite ao trabalhador sacar em dinheiro o saldo do vale que não for usado em 60 dias. O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), relator do projeto, criticou a “insegurança jurídica” do dispositivo e indicou que ele será vetado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

O que mais muda no vale-alimentação:

  • Portabilidade: o trabalhador poderá escolher o cartão pelo qual vai receber os benefícios a partir de 1º de maio de 2023.

  • Pagamento aberto: nesse modelo, as bandeiras dos cartões têm a responsabilidade de credenciar os restaurantes. Hoje, quem faz isso são as operadoras dos cartões.

Regulamentação do home office:

  • O texto permite que um acordo individual poderá tratar dos horários e meios de comunicação entre empregado e empregador, desde que assegurados os princípios legais.

  • A presença do trabalhador no ambiente de trabalho para tarefas específicas, ainda que de forma habitual, não descaracteriza o trabalho remoto.

  • O teletrabalho poderá ser contratado por jornada, produção ou tarefa e também poderá ser aplicado a aprendizes e estagiários.

O Senado aprovou outra medida provisória nesta quarta que trata sobre teletrabalho.

  • Ela autoriza governos a flexibilizar regras trabalhistas para conter consequências sociais e econômicas de estado de calamidade pública –que também pode ser decretado por estados e municípios. O texto segue para promulgação

Empiricus rebate denúncia do TC

Um parecer técnico encomendado pela Empiricus diz haver “elementos substanciais para indicar a falsidade” das imagens de trocas de mensagens em que diretores da empresa supostamente discutem a publicação de um vídeo anônimo contra sua concorrente TC.

Entenda o caso: o vídeo que passou a circular em junho mostra uma mulher com maquiagem de palhaço dizendo que o TC manipula ações negociadas na Bolsa e fala de outros crimes cometidos na empresa. Segundo o TC, as insinuações são mentirosas.

  • Ele ainda apresentou em coletiva de imprensa supostas trocas de mensagens por WhatsApp dos diretores da Empiricus que, segundo ele, chegaram anonimamente ao TC.

O que diz a Empiricus: o parecer encomendado pela empresa a uma advogada criminalista e a um perito criminal conclui que “existem elementos substanciais para indicar a falsidade dos prints apresentados”.

  • Diz ainda que o material poderia ter sido produzido “por meio de aplicativo facilmente encontrado na internet que permitem a criação de conversas ‘fake’, em aplicativos de conversa a exemplo do WhatsApp”.

O que diz o TC: afirmou que “não tem nenhuma razão para duvidar da veracidade dos documentos que recebeu” e que “é inconcebível que os peritos contratados pela Empiricus não tenham analisado os celulares utilizados nas conversas”.

  • “Se os donos da Empiricus, Caio Mesquita e Felipe Miranda, desejam o efetivo esclarecimento do caso, que apresentem seus aparelhos à Polícia Federal para que sejam oficialmente periciados”, disse o TC, em nota.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEPTAR
Aviso de cookies
Translate »