Por que voc (provavelmente) nunca ver um cometa com cauda verde

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Espao

Redação do Site Inovação Tecnológica – 21/12/2021

Por que voc

Cometa Lovejoy.
[Imagem: John Vermette/Wikimedia Commons]

Cometas verdes

Os cometas parecem no ter preferncia de cor, frequentemente apresentando uma metamorfose de cores conforme se aproximam e se afastam do Sol.

Com os instrumentos adequados, j fotografamos vrios deles com ncleos (ou cabeas) em verde brilhante, mas, curiosamente, o verde desaparece conforme observamos a cabeleira e a cauda do cometa.

Astrnomos, fsicos e qumicos discutem esse desaparecimento do verde h quase um sculo: Na dcada de 1930, o fsico Gerhard Herzberg teorizou que o fenmeno ocorreria conforme a luz solar fosse destruindo o carbono diatmico (tambm conhecido como dicarbono ou C2), uma molcula criada a partir da interao entre a luz solar e a matria orgnica na cabea do cometa.

Mas, como o dicarbono no estvel, esta teoria vinha-se mostrando difcil de testar.

Jasmin Borsovszky e seus colegas da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrlia, finalmente encontraram em meio de realizar este experimento e colocar a teoria prova.

Dicarbono

O dicarbono – ou dicarbonato – composto por dois tomos de carbono, mas altamente reativo, s podendo ser encontrado em ambientes extremamente energticos ou com pouco oxignio, como estrelas, cometas e o meio interestelar.

Mas o composto no existe nos cometas at que eles se aproximem do Sol. A teoria prope que, quando o Sol comea a aquecer o cometa, a matria orgnica em seu ncleo evapora e entra pela coma. A luz solar ento quebra essas molculas orgnicas maiores, criando dicarbono.

Para recriar essa situao, Borsovszky montou um experimento usando trs lasers potentes, para prover a energia, uma cmara de vcuo, para simular o espao interestelar, e uma molcula orgnica, para simular o que liberado conforme o ncleo do cometa aquecido.

“Primeiro tivemos que fazer essa molcula que muito reativa para ser armazenada em uma garrafa. Fizemos isso pegando uma molcula maior, conhecida como percloroetileno, ou C2Cl4, e atingimos seus tomos de cloro (Cl) com um laser UV de alta potncia,” descreveu o professor Timothy Schmidt.

Por que voc

Cometa Ison.
[Imagem: Adam Block/University of Arizona]

Teoria confirmada

As molculas recm-fabricadas eram imediatamente carregadas atravs de um feixe de gs na cmara de vcuo, que tem cerca de dois metros de comprimento.

A equipe ento apontou outros dois lasers ultravioleta para o dicarbono, um para inund-lo com radiao e o outro para tornar seus tomos detectveis. O impacto da radiao de fato rasgou o dicarbono, por um processo conhecido como fotodissociao, com seus tomos de carbono indo direto para um detector.

Est ento confirmada a teoria de Herzberg, de que, mesmo que o dicarbono faa a cabea do cometa brilhar em verde, o mesmo no acontecer em sua cauda.

Quando o cometa vai se aproximando do Sol, a radiao ultravioleta extrema quebra as molculas de dicarbono que a prpria radiao acabou de criar por fotodissociao. Esse processo destri o dicarbono antes que ele possa se mover para longe do ncleo, fazendo com que a coma verde fique mais brilhante e encolha – e garantindo que o tom verde nunca chegue cauda.

Bibliografia:

Artigo: Photodissociation of dicarbon: How nature breaks an unusual multiple bond
Autores: Jasmin Borsovszky, Klaas Nauta, Jun Jiang, Christopher S. Hansen, Laura K. McKemmish, Robert W. Field, John F. Stanton, Scott H. Kable, Timothy W. Schmidt
Revista: Proceedings of the National Academy of Sciences
Vol.: 118 (52): e2113315118
DOI: 10.1073/pnas.2113315118

Seguir Site Inovação Tecnológica no Google Notícias

Outras notcias sobre:

Mais tópicos

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »