Parece um mercado retrô, mas é uma loja de cannabis!


A loja, Superette, fica em Toronto e é assinada pela designer canadense Emily Robin

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 4 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

Gráficos ousados e um piso quadriculado montam a aparência da Superette, uma loja de cannabis em Toronto, que foi criada pela equipe interna da marca em colaboração com a designer canadense Emily Robin.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 10 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

Com sede em Toronto, a Superette foi fundada em 2019 pelos empresários Mimi Lam e Drummond Munro. A empresa agora opera seis lojas físicas no Canadá, onde o consumo recreativo da erva é legalizado desde 2018 e planeja abrir locais nos Estados Unidos no próximo ano.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 8 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

Com o objetivo de tornar “a compra de cannabis tão agradável quanto consumi-la”, a empresa priorizou a criação de produtos e ambientes de varejo com um toque nostálgico. Bodegas, farmácias e lojas de ferragens estão entre as influências.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 6 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

A última loja do varejista está localizada no Stackt Market, um complexo comercial feito de contêineres no centro de Toronto. Anunciado como o primeiro “Supermercado” da empresa, o novo espaço de 800 metros quadrados tem uma aparência que imita um supermercado clássico.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 11 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

“O SuperMarket segue o projeto de uma mercearia de bairro por excelência, desde o design de interiores e o fluxo de clientes até o merchandising e a variedade de produtos”, disse a equipe.

Veja também

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 1 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

Portas largas e envidraçadas levam a uma entrada repleta de cestas de compras de plástico. Uma divisória alta separa o vestíbulo frontal do resto da loja – uma exigência legal para um dispensário de maconha.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 2 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

A loja está repleta de cores vibrantes e elementos gráficos com uma estética pop art. Sob os pés, há um piso xadrez de vinil vermelho e branco. A mercadoria é exposta em prateleiras simples que podem ser encontradas em uma loja de conveniência. No centro do espaço há um balcão de checkout em forma de U e, na parte traseira, uma fileira de geladeiras antigas.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 5 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

Em uma seção de produtos artificiais, os produtos são misturados com frutas inovadoras. A loja também oferece uma máquina de chicletes em forma de foguete e um jogo Super Spin no estilo Roda da Fortuna. Em vez de oferecer um menu como em muitas lojas de cannabis, a loja incentiva os clientes a navegar.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 12 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

“Não há menu no SuperMarket”, disse a equipe. “Em vez disso, os clientes compram com os olhos como fariam em um supermercado tradicional, com a orientação de um budtender, caso precisem.”
Todos os tipos de produtos de cannabis são vendidos na loja, incluindo flores, pre-roll, vapes e comestíveis. A loja também oferece roupas e acessórios, como chapéus, potes, cachimbos e moedores.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 13 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

A mercadoria é exibida ao lado de adereços personalizados – como Super O’s e Sopa de tomate – que são interpretações divertidas de alimentos básicos como cereais embalados e sopa enlatada.

mercado retro de cannabis casa.com dezeen alex lysakowski 7 Vision Art NEWS

 (Alex Lysakowski/Dezeen)

A empresa quer demonstrar como a cannabis pode ser vendida como um produto de uso diário. “Toda a visão de varejo da Superette é sobre a aplicação de princípios tradicionais de varejo ao varejo de cannabis – onde não está sendo feito – e a comercialização de cannabis como você faria com qualquer outro produto de consumo embalado.”

*Via Dezeen

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original



Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »