Pandemia faz pais entenderem melhor desafios do professor, diz estudo | Jornal Hoje


O Dia do Professor é comemorado nesta sexta-feira (15) e o Jornal Hoje mostra, com exclusividade, um levantamento do Datafolha, feito a pedido do Itaú Social, Fundação Lemman e do Banco Intermericano de Desenvolvimento.

Segundo a pesquisa, a pandemia fez pais entenderem melhor desafios do professor:

  • 89% dos pais entrevistados se disseram impressionados com o caráter desafiador da profissão e com o nível de preparo que ela exige;
  • 67% sentem que os filhos passaram a respeitar mais os professores depois da pandemia;
  • 73% dos pais responderam que o principal apoio para a volta às aulas presenciais veio do contato com os professores.

O levantamento foi feito pela Pesquisa Datafolha — Foto: TV Glbo/Reprodução

Tânia Azevedo, professora de espanhol em uma escola pública na Zona Sul de São Paulo, passou um ano e meio preparando e dando aulas em escritório montado às pressas no corredor de casa.

“Os alunos, por exemplo, não estavam acostumados com esse ensino remoto, né? Então, foi difícil. No começo, tivemos que fazer grupos pelo WhatsApp, comunicar os pais, os alunos. Teve a questão do acesso à internet que foi muito difícil”, relembra.

Muitos pais acabaram acompanhando as aulas e testemunhando a dificuldade dos filhos e dos professores com o ensino à distância. Como Elaine Cristina Honório, que tem quatro filhos em idade escolar.

“Deram coisas novas para eles, então da escola deles, os professores faziam essa parte. Essa parte de estar entrando em contato, de estar explicando, de estar conversando comigo também para que eu pudesse estar auxiliando meus filhos em casa”, conta.

89% dos pais entrevistados se disseram impressionados com o caráter desafiador da profissão — Foto: TV Globo/Reprodução

Os estudantes lembram da época do isolamento social e dos momentos de crise. “Várias vezes eu pensei: gente, eu não quero mais fazer isso, eu não sei o que eu quero fazer, porque terceiro ano, prestar vestibular, o que que vou fazer da minha vida, né? E eu tive muito apoio dos meus professores para decidir o que eu queria, aquilo que eu realmente gostava e foi incrível”, fala a estudante Kethlyn Petrim da Costa Brito.

No retorno à escola, teve pai que fez questão de conhecer pessoalmente o professor que via pela internet.

“Eu estou aqui, eu vou estar aqui e quero continuar do jeito que está, próxima dos professores. Porque com isso, meu filho desenvolveu muito e eu quero que ele continue desenvolvendo”, diz Juciara Pereira de Souza, mãe de aluno.

Assista à reportagem completa no vídeo acima.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original



Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »