Pai que pede a ajuda da filha para morrer é tema de filme | Blog Longevidade: modo de usar

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Embora dedicada, Manue não consegue se livrar de memórias angustiantes das relações familiares: o pai sempre foi cruel com ela, a irmã, Pascale (Géraldine Pailhas), e a mãe, papel da também veterana Charlotte Rampling, que sofre de Doença de Parkinson e não tem qualquer afeto pelo ex-marido. Quando criança, uma de suas fantasias era matar o tirano que as atormentava em casa, o que torna mais irônico o pedido para que se encarregue dos arranjos para a eutanásia. Aqui vale lembrar que, na eutanásia, é uma outra pessoa que pratica o ato, enquanto, na morte ou suicídio assistido, é o paciente que toma a medicação letal, podendo contar com a ajuda de terceiros.

À medida que o tempo passa, André (o personagem tem o mesmo nome do ator) melhora, passa a utilizar uma cadeira de rodas e parece menos deprimido. Manue pensa que o pai se esqueceu do pedido, mas o motivo de seu estado de espírito é o fato de acreditar que todas as providências foram tomadas e o desfecho está próximo.

Ao cobrar o andamento do processo, fica sabendo que o fim lhe custará 10 mil euros, algo em torno de 63 mil reais, e pergunta: “como os pobres fazem?”. A resposta de Manue – “eles esperam para morrer” – engatilha uma reflexão: a morte do patriarca será mais um ato prepotência, já que ele não é vítima de sofrimento atroz, nem sua qualidade de vida foi comprometida de forma inexorável? É razoável exigir a colaboração dos filhos para realizar tal desejo?

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »