‘O Bom Patrão’ é o grande vencedor dos Prêmios Platino 2022 – 01/05/2022

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Em sua nona edição, os Prêmios Platino, dedicados ao cinema e a TV ibero-americana, que foram entregues na noite de hoje em Madri, o cinema espanhol foi o grande vencedor. “O Bom Patrão”, dirigido por Fernando Leon de Aranoa, levou os prêmios de Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Melhor Ator (para Javier Bardem).

A grande homenageada desta edição também é um nome crucial no cinema espanhol contemporâneo: Carmem Maura. Aos 76 anos, ela esbanjou simpatia e energia e afirmou que o grande segredo de sua carreira foi trabalhar porque ama e nunca pensar exatamente em carreira ou prêmios. “Se eu tivesse ouvido os agentes, que me disseram para não fazer curtas-metragens, nunca teria filmado com Almodóvar —com quem ela filmou pela primeira vez um curta em formato super 8.

Representante da Espanha no Oscar 2022 —o que causou surpresa, pois Madres Paralelas era a aposta da mídia internacional—, o filme conta a história do dono de uma indústria de balanças, vivido por Javier Bardem, que equilibra seus pratinhos para manter o poder que exerce não só em sua indústria, mas também em suas relações pessoais e sociais. Para isso e para ganhar um prêmio de excelência que está prestes a ser concedido, passa dos limites, abusa de seu poder tanto dentro quanto fora da fábrica.

Tudo em “O Bom Patrão” funciona como uma engrenagem perfeita. Se a balança se desequilibra vez ou outra, o roteiro e a direção de Aranoa funcionam com previsão quase mecânica. Diretor de filmes com um olhar contundente para as hipocrisias e contradições do mundo capitalista, Aranoa não poupa a ironia quando observa os patrões que tratam os funcionários “quase da família”.

Não por acaso, Bardem levou o prêmio de Melhor Ator em longa-metragem, ao qual era favorito. Quando questionado por Splash sobre o sucesso do filme, que tem tido ótima carreira internacional e é um grande sucesso entre o público, o ator respondeu: “É um filme que ficou mais de seis meses em cartaz na Espanha. É um milagre que qualquer filme dure seis meses no cinema hoje. Creio que é uma história que chegou ao coração das pessoas pelo que fala, ao humor, ao sorriso, mas também ao estômago porque é uma patada no espectador que, no final, entende que está rindo de algo que não é tão divertido, não?”

Sobre a questão do trabalho e da deterioração das relações de trabalho, Aranoa também concordou com Bardem. “Eu falei do mundo do trabalho em ‘Segundas-Feiras ao Sol’ há 20 anos. Mas desta vez quis falar da perspectiva do patrão. Este filme funciona porque tem muito humor, mas também é duro, pois as pessoas assistem num fim de semana e, na verdade, estão rindo do que passam durante a semana”, declarou.

Premios para o Brasil

O Brasil saiu dos Platinos 2022 com dois prêmios: Melhor Documentário para “A Última Floresta”, de Luiz Bolognesi, e Melhor Montagem, para Germano de Oliveira, por “Os 7 Prisioneiros”. “Deserto Particular”, de Aly Muritiba, concorria a melhor roteiro, mas o “Bom Patrão” levou a Melhor. Na categoria animação, o ótimo e adulto “Bob Cuspe – Nós não gostamos de gente” concorria a melhor longa mas quem levou foi a adolescente “Ainbo, a guerreira do Amazonas”.

De volta a “O 7 Prisioneiros”, dirigido por Alexandre Moratto também concorria na categoria de Melhor Ator com Rodrigo Santoro. Christian Malheiros, da série “Sintonia”, também concorria a melhor ator coadjuvante.

Quem levou foi o chileno Alfredo Castro por “Karnawal”, uma coprodução com o Brasil que mergulha na vida de um jovem bailarino que está prestes a se apresentar durante uma tradicional festa de sua cidade, no norte da Argentina, quando seu pai (Castro) sai por alguns dias da prisão e, em sua visita, põe todos os planos do garoto em perigo. Karnawal, uma coprodução entre Argentina, Brasil, Chile, México, Bolivia, Noruega, também levou o prêmio de Melhor Filme de Estreia para Juan Pablo Felix.

Veja todos os premiados da noite:

Melhor filme de estreia – “Karnawal”
Melhor ator coadjuvante – Alfredo Castro – “Karnawal”
Melhor atriz coadjuvante – Aitana Sánchez-Gijón – “Madres Paralelas”
Melhor roteiro – Fernans León de Aranoa – “O Bom Patrão”
Melhor animação – “Ainbo, a guerreira do Amazonas”
Melhor documentário – “A Última Floresta” – Luiz Bolognesi
Prêmio Platino de Educação em Valores – “Los Lobos”
Melhor ator coadjuvante em minisséries – Joaquin Furriel – “Vosso Reino”
Melhor atriz coadjuvante em minisséries – Najwa Nimri – “A Casa de Papel”
Melhor edição – Germano de Oliveira – “Os 7 Prisioneiros”
Melhor fotografia – Kiko de La Rica – “Mediterrâneo”
Melhor edição de som – Akritchalerm Kalayanamitr – “Memória”
Melhor criador de minissérie – Marcelo Piñeyro e Claudia Piñiero – “Vosso Reino”
Prêmio Platino de Honra – Carmen Maura
Melhor ator – Javier Barden – “O Bom Patrão”
Melhor atriz – Bianca Portillo – “Maixabel”
Melhor música Original – Alberto Iglesias – “Madres Paralelas”
Melhor direção – Fernando León de Aranoa – “O Bom Patrão”
Melhor ator em Minissérie – Javier Cámara – “Venga Juan”
Melhor atriz em Minissérie – Daniela Ramírez – “Isabel”
Melhor minissérie – “Vosso Reino”
Melhor filme – “O Bom Patrão”

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »