Nova Zelândia diminui restrições e anuncia fim da política de Covid zero – 04/10/2021 – Mundo


Sob pressão de parcela da população, com o aumento da vacinação e em meio a um surto constante da variante delta do coronavírus, a Nova Zelândia anunciou nesta segunda-feira (4) que vai abandonar a estratégia de eliminar por completo a Covid-19 do país e vai passar a conviver com o vírus.

Considerado um caso de sucesso na contenção da pandemia que já matou quase 5 milhões de pessoas no mundo todo, a Nova Zelândia foi um dos poucos países a zerar o número de infecções no ano passado.

Até aqui, a estratégia era isolar regiões tão logo um caso de Covid-19 fosse detectado. Mas, desde meados de agosto, uma nova e persistente onda de contaminações tem colocado essa estratégia à prova.

“Com este surto e com a variante delta, voltar a zero casos de Covid é inacreditavelmente difícil”, afirmou a primeira-ministra Jacinda Ardern nesta segunda. “É uma mudança de abordagem que faríamos ao longo do tempo. O surto da variante delta acelerou essa transição. As vacinas vão dar conta do recado”, disse.

Nesta segunda, o país registrou 29 novos casos de Covid, elevando o total da atual onda da doença para 1.357 —a maioria dos quais em Auckland, a maior cidade do país, em lockdown há quase 50 dias.

Embora a disseminação do vírus esteja alta para os padrões neozelandeses, ainda é ínfima se comparada a outros lugares do mundo. Só neste domingo (3) o Brasil registrou 12.743 novos casos de coronavírus.

Com a mudança anunciada, a quarentena que confina 1,7 milhão de pessoas em Auckland há semanas deve começar a ser relaxada gradualmente já na quarta-feira (6), e a população poderá fazer encontros com no máximo dez pessoas, sempre ao ar livre, além de poder voltar a frequentar praias e parques.

Jacinda afirmou que os lockdowns vão acabar quando 90% da população elegível para a vacina estiver imunizada. Hoje, essa cifra está em 48%, com cerca de 2 milhões de pessoas completamente imunizadas.

“Um longo período de restrições severas não nos levou a zerar os casos, mas foi importante porque não tínhamos vacina. Agora temos. Então podemos começar a mudar a maneira como fazemos as coisas.”

O sucesso da contenção do vírus com as quarentenas aliadas ao isolamento geográfico do país ajudaram na vitória histórica do Partido Trabalhista nas eleições do ano passado, o que garantiu a reeleição de Jacinda. Mas a vacinação lenta e a persistência da delta neste ano custou a popularidade do governo.

Partidos políticos dos dois lados criticaram a decisão. “Jacinda Ardern não tem respostas aos problemas que ela e o governo prometeram que estariam sob controle. A situação agora está, muito claramente, fora de controle e piorando a cada dia”, afirmou Judith Collins, líder do oposicionista Partido Nacional.

Os Verdes, que fazem parte da coalizão do Partido Trabalhista, disseram que a mudança na política coloca comunidades vulneráveis e crianças em risco. Para o professor Shaun Hendy, da Universidade de Auckland, que tem monitorado o avanço da doença no país, o relaxamento das restrições deve levar a um aumento de infecções nas próximas semanas.

“O governo espera que qualquer crescimento no número de casos seja devagar o bastante para que a vacinação possa se antecipar ao surto, antes que isso pressione significativamente nosso sistema de testes e rastreamento, sem falar nos nossos hospitais”, disse ele.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »