Mês mais quente do ano indica sol forte, poucas chuvas e aumento de focos de calor no Amapá | Amapá


Com a chegada do mês de outubro, considerado o período mais quente do “verão amazônico” no Amapá, a população terá que reforçar o uso do protetor solar e tomar bastante água. De acordo com o Núcleo de Hidrometeorologia (NHMet), a previsão é de poucas chuvas e sol forte, em função do período de estiagem e do aumento de focos de calor.

As temperaturas passaram por um aumento gradual, principalmente a partir dos meses de julho, agosto e setembro, e devem ser superadas em outubro. O estado que fechou o mês passado com a média de 34º, deve ultrapassar os 35º e ter sensação térmica acima de 50º, de acordo com previsão do NHMet.

Em relação as chuvas, O Núcleo ligado ao Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), estima que em função das altas temperaturas, ocorram poucas precipitações, de forma isoladas em alguns bairros da capital e do interior do estado.

Jefferson Vilhena, meteorologista — Foto: Núbia Pacheco/G1

Já o fenômeno dos focos de calor aponta um aumento considerável, de acordo com o meteorologista Jefferson Vilhena.

“No mês de setembro a gente passou a perceber bastantes focos de calor principalmente a partir da 2ª quinzena. Eles já passam dos mil focos mensais e para o mês de outubro eles já devem ultrapassar os 3 mil a 5 mil focos mensais”, informou Vilhena.

Os focos de calor podem ocorrer de forma natural ou serem ocasionados pelo ser humano ao fazer queimadas, que por sua vez correm risco de evoluírem para incêndios.

Dados coletados em setembro apresentaram uma variação de 105% de focos de calor em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 981 em 2020, contra 2.012 em 2021.

Operação monitora focos de calor e de incêndio no Amapá — Foto: CBM/Divulgação

De acordo com o NHMet, os municípios de Macapá, Tartarugalzinho, Itaubal, Ferreira Gomes e Porto Grande apresentam altos risco de incêndio em 1º de outubro.

Para frear a degradação do meio ambiente, o órgão monitora os fenômenos em parceria com as equipes da operação “Amapá Verde” liderada pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM).

Todas as mudanças registradas nos satélites pelo sistema dentro da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) são informados às equipes combatentes.

ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »