iPhone 13, o smartphone ideal para a maioria dos usuários

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Eu testei nos últimos meses o iPhone 13 como meu smartphone principal, e gostei muito da minha experiência com ele. Esse é certamente o mais popular entre os quatro modelos que a Apple lançou em setembro do ano passado, e é fácil entender os motivos.

Com uma tela de 6,1 polegadas, o poderoso processador A15 Bionic e duas excelentes câmeras, o iPhone entrega desempenho de sobra, além de boas câmeras com o novo modo Cinema, e uma bateria que dura bem mais que o seu antecessor.

publicidade

Linha iPhone 13 é o resultado de uma evolução de 15 anos

Esse aparelho é um ótimo exemplo da evolução da linha iPhone, que esse ano completou 15 anos, mas não é uma mudança tão significativa em relação ao modelo de 2021 e 2020, mesmo com todas as melhorias citadas, e por fora, você pode até não notar a diferença entre ele e o iPhone 12.

A câmera principal do conjunto duplo de 12 MP é maior que a do iPhone 12, e esse foi o motivo para mudar sua posição a 45º. Se a posição não faz diferença para o usuário, a qualidade da nova câmera sim, o que permite que o iPhone 13 tire fotos incríveis, além de gravar vídeos com o novo Modo Cinema.

Na parte frontal, o notch da tela foi reduzido em relação ao iPhone 13, mas não muito., e essa é a única mudança visual, além da nova posição da câmera. A tela tem uma taxa de atualização de apenas 60Hz, ou seja, metade dos modelos Pro e Pro Max, e isso acaba sendo talvez um dos únicos pontos fracos desse aparelho.

Cor azul do iPhone 13
Cor azul do iPhone 13 / Imagem: Mario Kurth

O modelo que testamos tem uma cor azul metálica muito bonita. Além de ser um smartphone muito bonito, ele também segue sendo muito resistente, à prova d’água e poeira, com proteção IP68. A proteção Ceramic Shield deixa a tela super resistente, e está intacta, mesmo nos tombos involuntários que ele levou.

Sua câmera dupla tira belas imagens, que estão entre as melhores que já tirei em um smartphone, mas é claro, fica bem atrás do conjunto de câmeras dos iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max. De qualquer forma, como disse, é uma das melhores experiências que tive com câmeras de smartphones, seja para tirar fotos ou gravar vídeos, especialmente pelo Modo Cinema.

Esse ano, a Apple lançou opções para todos os gostos. O iPhone 13 Mini é poderoso, tem ótimas câmeras do iPhone 13, em um tamanho compacto. Quem prefere o tamanho do iPhone 13, mas quer três câmeras, pode optar pelo iPhone 13 Pro, e quem quiser uma tela gigante, tem sempre a opção do iPhone 13 Pro Max.

O iPhone 13 tem versões com 128, 256 e 512 GB de capacidade, que foi a que testamos. Além desse modelo, o Olhar Digital também testou o iPhone 13 Mini e o iPhone 13 Pro Max, confira os nossos outros reviews.

Desempenho do A15 Bionic agrada muito

Não tem como começar esse review do novo iPhone 13 sem ser pelo seu maior destaque, que fica por dentro, o processador A15 Bionic, o mesmo dos modelos Pro.

A única diferença é que a GPU do A15 Bionic do iPhone 13 é de 4 núcleos, contra os 5 núcleos da GPU usada no iPhone 13 Pro e 13 Pro Max. A mudança na GPU dos modelos Pro foi feita para dar conta da tela ProMotion de 120Hz, exclusiva dos iPhones mais caros.

Assim, o iPhone 13 conta com o chip para smartphones mais poderoso lançado pela Apple até hoje, e tem um desempenho que é literalmente de tirar o fôlego. O processador do iPhone 13 nunca deixa de entregar o que o usuário pede e precisa dele.

A rapidez de uso do A15 Bionic pode ser percebida não só nos aplicativos do dia a dia, mas também ao jogar, com carregamentos mais rápidos e uma jogabilidade mais fluida e editar vídeos. Por falar em vídeos, com o A15 Bionic é possível usar o novo Modo Cinema, não só na câmera principal, mas também na câmera frontal.

Tela com ótimo brilho, mas taxa de atualização de apenas 60Hz

Tela do iPhone 13
Tela do iPhone 13 / Imagem: Mario Kurth

A tela OLED Super Retina XDR de 6,1 polegadas conta com um ótimo brilho, e suporte a HDR10 e Dolby Vision, mas não tem jeito, as telas de 120Hz dos modelos Pro fazem falta. Ela chega a um brilho máximo de 849 nits, e ultrapassa esse valor em HDR10.

A tela do iPhone 13 tem uma ótima qualidade, e entrega uma excelente experiência, apenas não tem a mesma fluidez dos iPhones 13 Pro e 13 Pro Max, além dos concorrentes, alguns inclusive com telas de 144Hz.

Câmera selfie poderia ser atualizada

Selfies tiradas com a câmera do iPhone 13, a primeira com o modo retrato e a segunda, sem
Selfies tiradas com a câmera do iPhone 13, a primeira com o modo retrato e a segunda, sem / Fotos: Nick Ellis

A câmera frontal de 12 MP com abertura F/2.2 que acompanha o sensor do Face ID é a mesma da geração anterior, e funciona de forma adequada, mas nada além. Com boas cores e até mesmo o novo Modo Cinema, ela produz imagens divertidas, mas que poderiam ter uma qualidade melhor.

Assim, eu acredito que a câmera selfie poderia ter sido melhorada, ou quem sabe até trocada, por exemplo, pela câmera de 25 MP do iPad Mini de 6a geração, e conta inclusive com o recurso Palco Central (Central Stage) que mantém o usuário sempre enquadrado e em foco, mesmo que ele se mova durante a chamada.

A câmera frontal de 12 MP também foi mantida nos modelos Pro da linha iPhone 13, mas a próxima geração deve trazer novidades nesse quesito.

Bateria é um dos pontos altos, mas carregamento podia ser mais rápido

A bateria do iPhone 13 foi aumentada de 2815 mAh para 3240 mAh em relação ao iPhone 12, e tem uma duração de até 2 horas a mais acessando a internet ou 4 horas a mais assistindo a vídeos em streaming, segundo a Apple. Nos meus testes, o resultado foi mais ou menos esse, 12 a 15 horas de uso.

No dia a dia, esse talvez seja o maior motivo para trocar um iPhone antigo pelo iPhone 13. A bateria dura mais do que um dia inteiro de uso, e na minha experiência, mesmo quando está acabando, ainda tem carga suficiente para você fazer as últimas tarefas e voltar para casa.

Apesar da ótima autonomia, o carregamento podia ser mais rápido. A bateria do iPhone 13 carrega de zero a 50% dos 3240 mAh em meia-hora com uma velocidade de 23W, mas demora pouco menos de 2 horas para ser carregada de zero a 100%. Os últimos 20% demoram mais para carregar, assim o tempo para chegar a 50% é bem menor do que o restante em uma carga total.

Como a Apple não manda um carregador na caixa, só o cabo, o usuário tem que se virar com o que tiver em casa. Nos meus testes, eu carreguei o iPhone 13 com um carregador de 20W. Só como referência, os modelos Pro têm velocidade de carregamento de 27W, ainda que também venham sem o adaptador.

Além disso, a bateria pode ser recarregada sem fio, com 15W em acessórios MagSafe da Apple, ou com até 7W com carregadores compatíveis com o padrão Qi.

Design é quase igual ao do iPhone 12, mas com notch menor

Notch do iPhone 13 foi reduzido na lateral
Notch do iPhone 13 foi reduzido na lateral / Imagem: Mario Kurth

O design do iPhone 13 lembra muito o do seu antecessor, com bordas retas e cantos curvos, mas com duas pequenas diferenças, o notch é 20% menor na lateral, apesar de manter a altura, e na traseira, a segunda câmera foi posicionada na diagonal, ao invés do alinhamento vertical.

Bordas retas do iPhone 13
Bordas retas do iPhone 13 / Foto: Nick Ellis

O acabamento fosco usado na lateral me agrada mais do que o brilhante, usado pela Apple na linha Pro. Para mim, usar esse design com a lateral reta foi uma novidade, já que o último iPhone que testei foi o XS Max, lançado pela Apple em 2019. Ao mesmo tempo, ele foi inspirado em designs mais antigos da Apple, que assim como ele, tinham uma boa pegada nas mãos, e dos quais eu sempre gostei muito.

iPhone 13 tem ótima pegada nas mãos
iPhone 13 tem ótima pegada nas mãos / Foto: Nick Ellis

Como sempre nos produtos da Apple, chamam a atenção a qualidade dos materiais e do acabamento. O iPhone 13 tem uma ótima pegada, e os botões na lateral são fáceis de acessar tanto o botão de ligar, que também acessa a Siri e o Apple Pay, quanto os botões de volume e do modo silencioso no lado esquerdo.

Na frente, a caixa de som saiu de um recorte na tela para o topo, em um módulo próprio. O som estéreo do iPhone tem um bom volume e qualidade, e é tocado por ela e pela caixa de som que fica na parte de baixo do iPhone, ao lado dos microfones e da entrada Lightning.

Com a bateria maior, o iPhone 13 é levemente mais pesado que o seu antecessor, cerca de 10 gramas, e também tem uma espessura 0,3 mm maior.

Para essa avaliação, a Apple nos mandou um case de silicone verde que conta com um detalhe interessante, ele é compatível com carregadores MagSafe.

Resistência é ponto alto, com proteção IP68 e tela com Ceramic Shield

O iPhone 13 é muito resistente, com tela e traseiras protegidas por Ceramic Shield, e que pode ser usado embaixo d´água ou em chuvas torrenciais, com proteção IP68. Durantes os testes, o iPhone 13 caiu ao chão algumas vezes, inclusive uma sem a capa, e em todas, se manteve intacto.

A Apple garante que você pode deixar ele embaixo d´água por até 30 minutos a uma profundidade de até 6 metros. Como citei, o modelo testado veio com uma capa compatível com o sistema de carregamento MagSafe da Apple. Com pouco mais de um mês de uso, após um tombo, a capa ficou com um pequeno defeito, mas o iPhone resistiu bravamente.

Mesma câmera principal do iPhone 12 Pro Max, flagship de 2021

Câmera do iPhone 13
Câmera do iPhone 13 / Imagem: Mario Kurth

O iPhone 13 conta com duas câmeras de 12 MP, mas quem brilha mesmo é a principal delas, que tem o mesmo sensor usado no iPhone 12 Pro Max, com abertura F/1.6 e estabilização óptica de imagens sensor-shift. A decisão de incluir a câmera topo de linha da Apple no ano passado foi acertada, e assim, o novo iPhone produz imagens incríveis, seja em fotos ou vídeos.

Comparação da câmera principal e da câmera ultrawide do iPhone 13
Comparação da câmera principal e da câmera ultrawide do iPhone 13 / Fotos: Nick Ellis

A segunda câmera do iPhone 13 é uma ultrawide com ângulo de 120 graus e abertura F/2.4. As duas câmeras tiram excelentes fotos, com grande nível de detalhes e cores vibrantes, mas pela abertura, a câmera principal é mais indicada para fotos em ambientes mais escuros.

Ter uma câmera ultrawide no iPhone 13 permite uma liberdade muito maior aos fotógrafos amadores ou não, a possibilidade de capturar um ângulo diferente, mas a qualidade mesmo fica por conta da câmera principal. Com seu conjunto de câmeras, iPhone 13 tira ótimas fotos, seja com boa iluminação ou usando o popular modo noturno, que pede para você segurar o smartphone por mais tempo para produzir imagens mais nítidas.

Gato em sua rede
Gato Ferrugem em sua rede / Foto: Nick Ellis

Outra novidade da câmera dos novos iPhone 13 são os estilos fotográficos, com quatro diferentes opções além do padrão: contraste rico, vibrante, quente e frio. Todos esses modos podem trocados deslizando o dedo para o lado, mostrando em tempo real qual o efeito nas cores das fotos. Na minha experiência, é possível tirar fotos ótimas com cada um deles, tudo depende do momento.

Confira abaixo outras fotos tiradas por mim com a excelente câmera do iPhone 13.

Foto tirada com o modo noturno do iPhone 13
Foto tirada com o modo noturno do iPhone 13 / Foto: Nick Ellis

Foto tirada no por do sol com zoom digital de 5x do iPhone 13
Foto tirada no por do sol com zoom digital de 5x do iPhone 13 / Foto: Nick Ellis

Foto tirada com o iPhone 13
Foto tirada com o iPhone 13 / Foto: Nick Ellis

Com o amigo Sergio Sacani
Com o amigo Sergio Sacani do podcast Ciência Sem Fim / Foto: Ned Oliveira

MASP
MASP / Foto: Nick Ellis

Mais uma do gato Ferrugem
Mais uma do gato Ferrugem / Foto: Nick Ellis

Modo Cinema do iPhone 13 brilha mesmo na câmera frontal graças ao chip A15 Bionic

Com o modo Cinema dos novos iPhones 13, a Apple conseguiu adaptar o ultra popular modo Retrato para vídeos, e o resultado é nada menos que espetacular. Com esse modo, é possível gravar vídeos realmente cinemáticos, com fundo borrado, ou o efeito Bokeh, mantendo as pessoas, animais ou objetos de interesse em quadro.

Indo além, é possível editar a profundidade de campo após gravar o vídeo, o que aumenta imensamente as possibilidades de diversão. Eu só fico pensando o que as pessoas irão criar com esse novo recurso de câmera.

Essa tecnologia realmente impressiona, e é o resultado prático da compra de várias empresas pela Apple ao longo dos últimos dez anos, especialmente a LinX, adquirida em 2015. Esse tipo de tecnologia inclusive era um sonho antigo de Steve Jobs.

Como depende de hardware (não da câmera, e sim do chip A15 Bionic), o modo cinema funciona com a câmera frontal, mas não vai funcionar nos iPhones 11 e 12 ou anteriores, o que também serve como um bom argumento de vendas para fazer a troca pelos novos smartphones da Apple.

Com o iOS 15, a Apple finalmente trouxe várias novidades pedidas pelos usuários

O iPhone 13 roda o iOS 15, com seus novos modos de foco, os widgets, que demoraram, mas enfim chegaram, além de perfis na hora de tirar fotos, o modo Cinema e a incrível possibilidade de reconhecer qualquer texto de uma imagem capturada com a câmera.

Em termos de conectividade, ele conta com 5G SA e NSA, mas o modelo que testei ainda não funcionava com a rede da Claro, o que deve ser facilmente resolvido em uma atualização futura. Além disso, o iPhone 13 tem 5G Wi-Fi 6 e Bluetooth 5.0, então ele realmente entrega muito em termos de conectividade.

A nova versão iOS 15.4 agora também conta com Face ID com máscara, reconhecendo a pessoa por detalhes dos seus olhos. Nos meus testes, o resultado foi muito satisfatório, tanto para o desbloqueio quanto para pagamentos com o Apple Pay. Para configurar, é bem simples, e você não precisa estar de máscara na hora de cadastrar o Face ID.

Preço é alto, mas iPhone 13 entrega muita coisa

Finalmente chegamos ao preço, um dos maiores problemas não só desse, mas de qualquer produto da Apple no Brasil. Por conta dos impostos e taxas de importação, o iPhone 13 custa a partir de R$ 7.599, e isso na versão de 128 GB. O de 256 GB custa R$ 1.000 a mais, e o de 512 GB, R$ 10.599, um preço bem alto para um aparelho com tela de 60Hz.

É inegável que o iPhone 13 é um smartphone realmente caro, mas mesmo assim ele pode ser uma opção para quem quer um flagship com excelente desempenho e ótimas câmeras rodando iOS. Apesar de muito caro, ele é bem mais em conta do que os R$ 10 mil do iPhone 13 Pro Max, ou mesmo os R$ 9.499 do iPhone 13 Pro, que tem uma tela do mesmo tamanho, mas com 120Hz.

Traseira do iPhone 13
Traseira do iPhone 13 / Imagem: Mario Kurth

Como já é uma tradição, o iPhone 13 tem algumas ótimas opções de cores para seus usuários escolherem, além do belo modelo azul que testamos nesse review. São elas o rosa, meia-noite, estelar e o vermelho (Product) RED, cujas vendas contribuem para o Fundo Global contra a Covid-19. No seu evento desse mês, a empresa apresentou uma nova opção de cor para o iPhone 13, o verde, que me parece muito bonito.

Além disso, os usuários podem optar pelo iPhone 13 Mini, que tem as mesmas câmeras do 13, mas com uma tela menor de 5,4 polegadas, pode comprar ele a partir de R$ 6.599. Todos os preços informados são válidos para o dia da publicação do post, e podem ser alterados no futuro.

Leia também:

Conclusão

Para concluir, o iPhone 13 é um smartphone de respeito, e não deve muito aos modelos Pro, por mais que a Apple tenha feito alguns compromissos, especialmente na tela, que apesar de boas cores e brilho, tem uma taxa de atualização baixa.

Além disso, ele conta com excelentes câmeras, com a principal herdada do iPhone 12 Pro, que por mais que não cheguem no nível das câmeras dos irmãos 13 Pro e 13 Pro Max, fazem bonito em imagens e vídeos, com destaque para o novo modo Cinema, que produz excelentes resultados. Sim, a câmera frontal decepciona, mas esse também é o caso dos modelos 13 Pro e também de vários concorrentes no mundo Android.

O carregamento da bateria não é tão rápido, mas em compensação, sua autonomia foi muito melhorada, o que por si só, já justificaria a atualização para usuários do iPhone 11 ou iPhone 12 na minha opinião.

Assim, se você prefere o ecossistema da Apple, e está querendo trocar de iPhone, o iPhone 13 oferece muita coisa, por mais que cobre bem caro por isso. Ele é uma evolução discreta, mas que acumula o melhor dos 14 de anos de experiência da Apple com iPhones, por mais que ainda tenha algumas arestas a serem corrigidas, quem sabe no futuro iPhone 14.

De qualquer forma, quem optar por esse smartphone terá um belo objeto de design que cumpre muito bem tudo que se propõe, com um desempenho muito acima da média do mercado e um lindo design, a não ser que você se incomode com o notch na tela.

A nova linha de iPhones deve ter o design reformulado, e muitos vão manter seus iPhones 11 ou 12 e esperar pela chegada da linha iPhone 14, mas é inegável que a Apple acertou muito mais do que errou no iPhone 13.

Como diz o velho clichê, em time que está ganhando não se mexe, ou não se mexe muito, como fez a Apple com o iPhone 13, e com o resultado, ele deve seguir vendendo muito até a chegada da nova geração.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »