Hubble confirma mistrio da taxa de expanso do Universo

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Espao

Redação do Site Inovação Tecnológica – 23/05/2022

Hubble confirma mist

A equipe analisou 42 galxias contendo variveis cefeidas e supernovas, dois fenmenos celestes cruciais para determinar distncias astronmicas e, assim, calcular como o Universo est se expandindo.
[Imagem: Adam G. Riess et al. (2022)]

Discrepncia na expanso do Universo

Reunindo dados de 30 anos de observaes do telescpio espacial Hubble, astrnomos acabam de aprofundar a chamada “tenso de Hubble”, um mistrio que vem abalando os fundamentos das teorias mais aceitas hoje para explicar o Universo.

Essa tenso tem a ver com a chamada constante de Hubble, que mede a taxa de expanso do Universo – a constante e o telescpio foram nomeados em homenagem ao mesmo Edwin Hubble, que, juntamente com Georges Lemaitre, descobriu a expanso do Universo.

O problema que tem persistido uma discrepncia nessa velocidade de expanso conforme ela medida usando as observaes do Universo inicial, muito antigo, e as observaes do Universo atual.

No incio da existncia do Universo, a luz se movia atravs do plasma – no havia estrelas ainda – e de oscilaes semelhantes s ondas sonoras. A constante de Hubble calculada a partir dessa radiao csmica de fundo chega a um resultado de 67 quilmetros por segundo por megaparsec (km/s/Mpc ), o que significa que o Universo se expandia cerca de 67 km/s mais rpido a cada 3,26 milhes de anos-luz (um parsec).

Mas o resultado diferente quando se observa o Universo depois que as estrelas nasceram, as galxias se formaram e apareceram exploses chamadas supernovas, eventos extremos relacionados ao fim da vida de uma estrela. Com base nessas observaes, a constante de Hubble fica em torno de 74 km/s/Mpc. Essa teimosa discrepncia conhecida hoje como “tenso de Hubble”.

Sempre houve a esperana de que fosse descoberto algum erro de medio ou de interpretao em alguma das medies.

Contudo, pelo menos o resultado das medies feitas no Universo atual acaba de ser confirmado pela anlise de mais de trs dcadas de observaes do telescpio Hubble.

Taxa de expanso do Universo atual

O professor Adam Riess, ganhador do Nobel de Fsica por seus estudos envolvendo a acelerao da expanso do Universo, chefiou uma grande equipe para investigar a taxa de expanso do universo chamada SHOES, uma sigla em ingls para “Supernova, H0, Equao do Estado da Energia Escura”.

” para isso que o Telescpio Espacial Hubble foi construdo, usando as melhores tcnicas que conhecemos para faz-lo. Esta provavelmente a obra-prima do Hubble, porque levaria mais 30 anos de vida do Hubble para dobrar o tamanho da amostra,” disse Riess. Com tantos dados, agora est praticamente descartada a ideia de que o valor da expanso medida na Universo atual tenha algum erro derivado de anomalias nos dados.

Para fazer sua medio, os astrnomos calibraram 42 variveis cefeidas e supernovas. Como elas so vistas explodindo a uma taxa de cerca de uma por ano, o Hubble, para todos os propsitos prticos, registrou o maior nmero possvel de supernovas para medir a expanso do Universo.

A concluso que a taxa de expanso do Universo mais lenta do que o Hubble realmente v. Ao combinar o Modelo Cosmolgico Padro do Universo e as medies do Telescpio Planck, que observou o fundo de micro-ondas csmico, os astrnomos calcularam um valor para a constante de Hubble de 67,5 km/s/Mpc, com margem de erro de 0,5 quilmetro para mais ou para menos , em comparao com a estimativa da equipe SHOES, de 73 km/s/Mpc.

Portas para uma nova fsica

Dado o grande tamanho da amostra do telescpio Hubble, h apenas uma chance em um milho de os clculos estarem errados devido a problemas nos dados.

Os astrnomos esto em busca de uma explicao da desconexo entre a taxa de expanso do universo local versus o universo primitivo, mas a resposta pode envolver uma nova fsica – como um universo-espelho, como recentemente sugerido.

“Voc pode achar que isso frustraria os astrnomos, mas, em vez disso, isso abre a porta para descobrir uma nova fsica e confrontar questes imprevistas sobre o funcionamento subjacente do Universo. E, por fim, isso nos lembra que temos muito mais a aprender entre as estrelas,” escreveu a equipe.

Bibliografia:

Artigo: A Comprehensive Measurement of the Local Value of the Hubble Constant with 1 km s
Autores: Adam G. Riess, Wenlong Yuan, Lucas M. Macri, Dan Scolnic, Dillon Brout, Stefano Casertano, David O. Jones, Yukei Murakami, Gagandeep S. Anand, Louise Breuval, Thomas G. Brink, Alexei V. Filippenko, Samantha Hoffmann, Saurabh W. Jha, W. D’arcy Kenworthy, John Mackenty, Benjamin E. Stahl, Weikang Zheng
Revista: The Astrophysical Journal
Vol.: Acceptede paper

Seguir Site Inovação Tecnológica no Google Notícias

Outras notcias sobre:

Mais tópicos

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEPTAR
Aviso de cookies
Translate »