Famosas na internet, tirinhas sobre ciência, as Cientirinhas, viram livro – 17/06/2021 – Ciência

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Divulgar a ciência é uma arte, e raramente isso é tão verificável quanto no caso de Marco Merlin e suas Cientirinhas, lançadas online há pouco mais de cinco anos e sucesso crescente desde então. Agora, a série ganha uma versão em livro.

A obra está sendo lançada nesta semana pela editora Miguilim, seguindo o padrão pandêmico, ou seja, em uma live. O evento acontece no canal do grupo de divulgação científica Dragões de Garagem, personagem importante da história, com participação de Iberê Thenório, do canal Manual do Mundo.

Foi em janeiro de 2016 que nasceu a parceria de Merlin com os Dragões. “Mesmo não sendo da área científica, eu sempre acompanhava as notícias e consegui adquirir um bom repertório para um leigo. Até então eu fazia quadrinhos com um humor mais comum, sem essa temática específica. Aí veio essa animação para produzir esse tipo de material, que era interessante tanto para eles [Dragões de Garagem] quanto para mim”, conta Merlin, que é publicitário e está concluindo o curso de artes plásticas.

Uma das grandes referências do cartunista é o astrônomo e divulgador científico Carl Sagan (1934-1996), conhecido por livros como “O Mundo Assombrado pelos Demônios” e pela série de TV “Cosmos”.

Não por acaso um dos temas mais explorados nas tirinhas é o #espaço —de conversas bem-humoradas entre Sol, Terra e Lua a um papo mais poético sobre o lugar dos seres humanos no Universo.

(Como as Cientirinhas são webcomics, quadrinhos feitos para a web, o autor quis simular um pouco desse ambiente no papel. O leitor pode navegar pelas marcações laterais do livro e achar tirinhas dentro de temas como #física, #cultura_nerd, #geografia, #personalidades e #sociedade.)

Uma das tirinhas favoritas de Merlin é uma em que a Terra conversa sobre com a Lua e diz gostar muito das músicas de Raul Seixas, menos daquela que diz “eu nasci há 10 mil anos atrás”. “Tenho 4,5 bilhões de anos muito bem vividos”, diz o planeta a seu satélite. Embutida aí está, além da informação geológica, a negação às hipóteses criacionistas que dizem que a Terra teria apenas alguns milhares de anos de existência.

Mas o quadrinho que mais fez sucesso é um de 2018 que trata de um tema atual: letalidade de vírus. Um comitê de mortes discute como eles poderiam ser mais eficientes, e uma delas sugere: “Se espalhássemos um boato de que vacinas fazem mal, poderíamos trabalhar com os vírus e bactérias que já estão no mercado a custo zero”. Essa morte é escolhida como funcionária do mês.

Houve traduções dessa tirinha, a de número 113, para ao menos 14 idiomas. Ela também virou meme, com substituição do texto original por outros de outros assuntos, mais uma prova do sucesso do trabalho.

Em apenas quatro quadros Merlin consegue dar uma “pincelada”, como define, no conteúdo científico e amarrar tudo com uma surpresa ou inversão de expectativa, características do humor. Isso, diz ele, estimula a curiosidade e ajuda a abrir as portas para discussões mais aprofundadas.

As Cientirinhas já foram parar em livros didáticos e já deram as caras em vestibulares. “Foi uma boa surpresa ver os professores enxergando potencial para introduzir um tema ou usar numa sala de aula, quebrar a resistência dos alunos com humor, com uma coisa mais lúdica”, diz o cartunista.

O sucesso está no balanço entre agilidade e conteúdo. “Se demorar muito explicando as coisas eu perco a piada”, diz o artista. “É um exercício muito bacana de concisão”, resume ele, que se vale das habilidades adquiridas como redator publicitário para chegar ao texto enxuto.

Ele diz que tem dificuldade em se enxergar como um divulgador científico e se vê mais como uma pessoa que não necessariamente produz conhecimento científico mas que o leva para as pessoas de fora do mundo acadêmico. E nisso, afirma, o reconhecimento externo ajuda.

As fontes de inspiração para o trabalho variam, conta Merlin. Muitas vezes, ao mergulhar num tema, encontra vários ganchos que acabam se transformando em séries. Já em outras oportunidades tem que forçar um pouco a barra até sair. No começo, as produção era de uma a cada quinzena. Hoje chega a duas tiras por semana.

Além das Cientirinhas, Merlin publica outros projetos dentro do guarda-chuva do Quadrinhorama.

Cientirinhas

Autor: Marco Merlin; Editora Miguilim; R$ 65,00 (180 págs.)

Lançamento do livro

Live no Canal do Dragões de Garagem no YouTube (bit.ly/livroCientirinhas)

Nesta quinta (17), às 19h

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »