Do charme ao funk, música negra dá o tom de festas e shows no centro de SP; veja agenda – 18/11/2021 – Bares e noite

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Da famosa festa Chic Show, que recebeu o cantor James Brown como atração em novembro de 1978, aos bailes funk que hoje animam as ruas até o dia amanhecer, a música negra sempre esteve presente na noite de São Paulo.

Seja samba ou jazz, reggae ou pagodão baiano, não importa. Os ritmos de influência africana estão em todo canto na capital paulista –e todos eles encontram espaço na região central. Confira, a seguir, um roteiro com eventos de produtores negros com música negra que ocorrem nos próximos dias.

A previsão do tempo para esta sexta, dia 19, é de uma noite fria e chuvosa. Mas a festa Perifa no Toque, que ocorre esse dia na Casa da Luz, na Luz, está aí para provar que o clima sempre pode esquentar, principalmente se quem estiver junto na pista colaborar.

Os oito DJs da programação prometem tocar muito funk. E lá, assim era como nos bailes black dos anos 1970, dançar é quase que obrigatório. Quem fica perto na mesa dos DJs, inclusive, obedece aos versos da música com passinhos coreografados.

Outro rolê marcado para sexta é o Discotecagem Preta, na Gruta, na região República. Afrobeat, funk e pagodão baiano são alguns dos ritmos que tocam por ali, em seleções musicais feitas principalmente por artistas negros.

Com dois anos, a festa é conhecida por resgatar musicalidade afro espalhada pelo mundo, além de dar espaço a novos artistas —eles, inclusive, podem se inscrever para participar via formulário online.

Ainda sobre músicos negros menos badalados, mas agora no sábado (20), Dia da Consciência Negra, a Afrojam-SP é um evento inspirado nas jam’s sessions americanas, onde músicos sobem ao palco e improvisam com outras bandas.

A próxima edição tem entrada gratuita e começa a partir das 19h no Aparelha Luzia, um espaço cultural nos Campos Elíseos comandado pela deputada estadual Erica Malunguinho, do PSOL.

O produtor cultural e músico Hever Alvz, criador do Afrojam, afirma que o evento é guiado pela representatividade racial. “Reunimos músicos de várias vertentes e proporcionamos encontros e parcerias inéditas. A ideia é revelar novos nomes que atuem na cena musical independente e apresentar novos panoramas na cena artística da capital.”

Se você ainda não sabe a diferença entre o charme e o funk –pergunta que aparece no “Rap da Diferença”, da dupla MC Markinhos e MC Dollores–, sábado é o dia de descobrir. É quando ocorre a edição especial do Baile dos Escurinho, chamado assim mesmo, um evento criado por jovens artistas pretos de periferia.

Os bailes do coletivo Escurinhos acontecem uma vez por mês e têm como uma atração a diversidade musical, com ritmos dificilmente escutados nas festas da capital.

O charme, por exemplo, é um tipo de festa mais popular no Rio de Janeiro, onde o pessoal vai para dançar. Nestes eventos, os DJs tocam ritmos como R&B e o new jack swing, um tipo de música negra eletrônica, enquanto a plateia faz passinhos coreografados e muito bem sincronizados.

No Bexiga, o bar e restaurante Ala! Jardim, é uma alternativa para quem procura eventos um pouco mais tranquilos. Mistura de restaurante, brechó e casa de shows, o negócio é tocado pela família Monteiro –as irmãs Bruna e Juliana e a mãe, Alaide, que inspirou o nome do negócio. Juliana conta que elas sempre quiseram usar o espaço para eventos com música preta.

Assim, o jardim do espaço tem uma programação de festas de estilos variados, além de receber apresentações de cantores e bandas de jazz. No domingo, dia 21, quem comanda o som no Ala! são os DJs Estevam, Obi Orin e William Ere, que prometem tocar ritmos como soul e hip-hop. Já o próximo show de jazz está previsto para 18 de dezembro.

Outra atividade mais sossegada é o Modulação Preta, nome do programa criado pelo músico e produtor Marco Felinto, que tem edições mensais na Galeria do DJ, espaço mantido pela Secretaria Municipal de Cultura dentro do Centro Cultural Olido, na região central. O evento dá espaço para artistas pretos tocar suas músicas e contar as histórias delas.

O show é gratuito e segue o rito de uma entrevista acompanhada por um músico convidado. Depois disso, há um bate-papo no qual se fala sobre memória de família, a importância da música negra na vida do entrevistado, em especial a eletrônica, e curiosidades sobre as canções e estilos apresentados. As apresentações também são gravadas e ficam disponíveis no YouTube. O próximo convidado é o DJ Akinn, no dia 4 de dezembro, às 14h.

Por fim, o rap —e ritmos derivado, como trap e drill— não ficam de fora das festas paulistanas. Como reflexo da reabertura dos espaços de eventos na capital, cada vez mais festivais têm aparecidona agenda de casas de shows na cidade.

Para o dia 4 de dezembro, está marcado o Baile da Ceia, evento produzido pela gravadora Ceia, na Audio Club, na Barra Funda. O line-up traz artistas contratados pelo selo, como os rappers Djonga e Febem, além de DJs badalados, como Djulia e a dupla Ice Cream Girls.

Seja funk, R&B ou jazz, a música preta marca a trilha sonora da noite paulistana há muito tempo. Se for sair de casa para ir a alguma das festas, use máscara corretamente, também quando estiver na pista de dança, mantenha as mãos higienizadas e mantenha a carteirinha de vacinação em dia.

Afrojam

Aparelha Luzia – r. Apa, 78, Campos Elíseos. Sáb. (20), às 19h. Instagram: @afrojamsp e @aparelhaluzia. Grátis

Baile da Ceia

Audio – av. Francisco Matarazzo, 694, Barra Funda. Sáb. (4/12), às 22h. Instagram: @audio. A partir de R$ 180

Baile dos Escurinhos

Gruta Bar – r. Major Quedinho, 112, República. Sáb. (10/12) às 22h. Instagram: @bailedoescurinho. A partir de R$ 5

Charme & Funk – Total 90

Point do Baía – r. Conselheiro Carrão, 37, Bela Vista. Sáb. (20), às 13h. Instagram: @bailedoescurinho. Grátis

Crash Party + Jup do Bairro

Casa de Cultura Hip Hop Leste – r. Sarah Kubitscheck, 165A, Cidade Tiradentes. Dom. (21), às 22h. Instagram: @_crashparty. Grátis

Discotecagem Preta

Gruta Bar – r. Major Quedinho, 112, República. Sex. (19), às 23h. Instagram: @discotecagempreta. R$ 10

Elo Sons

Ala! Jardim – r. Rui Barbosa, 658, Bixiga. Dom. (21), às 15h. Instagram: @ala.jardim. Couvert artístico: a partir de R$ 12

Perifa no Toque

Casa da Luz – r. Mauá, 512, Centro. Sex. (19), às 23h30. Instagram: @perifanotoque. R$ 15 a R$ 20

Marsha!

Centro Cultural da Diversidade – r. Lopes Neto, 206, Itaim Bibi. Sáb (27), às 15h. Instagram: @marshaoficial. Grátis

Modulação Preta

Galeria do DJ – Av. São João, 473, Centro. Sáb. (4), às 14h. Instagram: @galeriadodj. Grátis



Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »