Crítica – The Seven Deadly Sins: Cursed by Light


Para os fãs do anime The Seven Deadly Sins sempre têm espaço para um pouquinho mais!

Deste modo, quando tudo parecia ter tido aquele ponto final na saga O Julgamento do Dragão, apareceram novos problemas que levarão a equipe Os Sete Pecados Capitais a se reunirem mais uma vez.

Publicidade

Não foi possível carregar anúncio

Com a ajuda do “Dragão Pecado da Ira”, Meliodas e os piores rebeldes da história, os Sete Pecados Capitais, a “Guerra Santa”, na qual quatro raças, incluindo Humanos, Deusas, Fadas e Gigantes lutaram contra os Demônios, finalmente terminou. Ao custo da vida de Escanor, o “Pecado do Orgulho do Leão”, o Rei Demônio foi derrotado e o mundo recuperou a paz. Depois disso, cada um dos Pecados seguiu seu próprio caminho. Porém, surgiram duas figuras poderosas no Reino dos Demônios que farão a equipe juntar-se novamente para evitar o pior cenário para todos os reinos e clãs que habitam o mundo.

Tudo em paz na área!

Guerra Santa acabou. Cada um no seu corre pessoal: Merlin trabalha junto com o Rei Arthur no objetivo de criar um novo reino; Meliodas está viajando com a princesa Elizabeth antes de assumir o Reinado dos Humanos; enquanto isso, o casamento de Arlequim e Diane estava prestes a acontecer em um local abençoado, com a presença de Ban e Gowther também.

Dos três blocos vistos, nos dois primeiros atos de The Seven Deadly Sins: Cursed by Light da Netflix, a união dos clãs pelo casamento entre dois Pecados Capitais foi o melhor momento.

Dois clãs opostos, Fadas e Gigantes unidos pelo amor, entrega naturalmente uma mensagem de aproximação, de diálogo que é sempre muito bem-vinda e inspiradora em qualquer cenário.

Mais: Por ter quatro dos Pecados Capitais juntos, além de outros convidados envolvidos que possuem bastante poder, tivemos cenas de batalha diferenciadas, algo que sempre atrai mais do que quando temos seres com o mesmo estilo de luta.

Se em gênese, The Seven Deadly Sins segue um pouco a linha narrativa de Os Cavaleiros do Zodíaco, sabe?! Humanos contra Deuses.

Neste filme intitulado Cursed by Light temos uma atmosfera mais Dragon Ball. Mais específico: uma vibe Goku e Vegeta.

Sim, o melhor deste longa-metragem de apenas 80 minutos de duração vem pelas cenas entre o herói principal Meliodas e seu irritadinho irmão mais novo Zeldris, que também está prestes a assumir o Reinado dos Demônios.

Tanto no humor pelas personalidades diferentes de cada um, quanto na hora da porrada comer solta, Meliodas e Zeldris formam uma dupla que promete entregar momentos ainda mais divertidos para os fãs de The Seven Deadly Sins.

É isso mesmo o que leu!

Vem mais por aí…

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »