Covid começa a recuar nos EUA; China se prepara para abrir o país – 03/10/2021 – Nelson de Sá

amazon celulares maior Vision Art NEWS


Na manchete do New York Times ao longo do sábado, “Número de mortos por Covid ultrapassa 700 mil”. Logo abaixo, “O alarmante aumento de mortes neste verão significa que a pandemia se tornou a mais mortal da história americana”.

Mais otimista e com dado um pouco diferente, o Washington Post manchetou que, “À medida que a alta do verão começa a diminuir, número de mortes por coronavírus chega perto de 700 mil”.

De fato, nos gráficos das páginas iniciais tanto do WPost como do NYT, o número de mortes diárias diminuiu para menos de 2 mil no final de semana, seguindo a queda acelerada nos casos.

E na China a face pública do combate à Covid, Zhong Nanshan (acima, na frente), numa entrevista de capa à Nanfang Renwu Zhoukan, revista de Guangzhou ligada ao PC, perguntou e respondeu:

“Quando a China estará pronta para uma reabertura completa? Quando a maioria do público, mais de 80% ou 85%, tiver tomado a vacina. Estimo que podemos chegar a 80% até o final de 2021.”

Na mesma direção, o South China Morning Post noticiou que o governo iniciou a construção ou conversão de centros de quarentena para 10 mil pessoas nas principais cidades de chegada de estrangeiros.

A aposta agora, ao menos na cobertura externa, é que o país se abra completamente no final dos Jogos de Inverno de Pequim, em fevereiro.

CARNIÇA

Na manhã de domingo, na manchete do britânico The Guardian, com foto de Domingos Peixoto publicada no jornal Extra, do Rio, “Clamor no Brasil diante de fotos de pessoas vasculhando carcaças de animais”, usando a expressão em inglês para carniceiros.

Logo abaixo, “Imagens de brasileiros desprovidos em busca de restos de comida revelam a dimensão da crise econômica e social”.

RICOS E PODEROSOS

À tarde, o destaque no Guardian e em diversos veículos pelo mundo mudou para o vazamento sobre os “ricos e poderosos” com contas em paraíso fiscal, para sonegação.

O jornal britânico ressaltou um ex-primeiro-ministro do próprio país, Tony Blair. Já outros, como o Indian Express, destacaram adversários de seus países —o primeiro-ministro do Paquistão, no caso.

PUTIN, SEMPRE

Como visto na cobertura americana de vazamentos anteriores do consórcio ICIJ (Panama Papers e Paradise Papers), agora se destaca novamente o presidente russo, no que foi apelidado de Pandora Papers.

Com a ilustração acima, descreve o Washington Post, “mulher russa comprou propriedade em Mônaco, por meio de offshore, após dar à luz numa época em que teria tido um relacionamento secreto com Vladimir Putin”, 18 anos atrás, de acordo com o site russo Proekt.


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.



Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

amazon computadores Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »
%d blogueiros gostam disto: