Saúde

Coqueluche é conhecida como ‘tosse comprida’; saiba quais são os sintomas e como é o tratamento – Notícias

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS



O Brasil registrou no ano passado 227 casos de coqueluche, uma doença altamente contagiosa, conhecida popularmente como “tosse comprida”. Ela é causada pela bactéria Bordetella pertussis.


Causa e transmissão


De acordo com o Manual MSD de Diagnóstico e Tratamento, a transmissão ocorre principalmente por meio de secreções respiratórias aerossolizadas que contêm a bactéria B. pertussis.


A infecção é altamente contagiosa e afeta cerca de 80% dos contatos próximos. Pacientes geralmente não são contagiosos após a terceira semana da fase paroxística, quando os sintomas se intensificam.





Sintomas e estágios




Conforme o Ministério da Saúde, a coqueluche passa por três estágios sintomáticos.


No início, os sintomas assemelham-se a um resfriado comum, incluindo nariz escorrendo, febre baixa e tosse leve.


O estágio seguinte, caracterizado por paroxismos de tosse intensa e descontrolada, pode durar de uma a seis semanas.


“Aqueles que têm esses ataques de tosse dizem que é a pior tosse de suas vidas”, descrevem os CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos).


A terceira fase da coqueluche (convalescente) marca a recuperação progressiva após a intensa fase paroxística.


Durante essa etapa, os ataques de tosse tornam-se menos frequentes, embora ela possa persistir devido à irritação residual das vias respiratórias.


Os pacientes começam a sentir melhora gradual, e o corpo se recupera da infecção.


À medida que a fase convalescente avança, a tosse desaparece completamente, e os pacientes retornam ao seu estado de saúde normal.


Os pacientes podem experimentar os sintomas, principalmente a tosse, por mais de seis semanas. 


Diagnóstico e complicações


Segundo os CDC, diagnosticar a coqueluche pode ser desafiador em seus estágios iniciais, já que seus sintomas podem se assemelhar aos de um resfriado comum.


A confirmação é realizada por meio de exames laboratoriais como cultura de material nasofaríngeo e testes de PCR em tempo real.


Casos graves podem resultar em complicações como pneumonia, infecções de ouvido, convulsões e até mesmo lesões cerebrais.


Tratamento


O Manual MSD detalha que o tratamento da coqueluche envolve cuidados de suporte e o uso de antibióticos macrolídeos, como eritromicina ou azitromicina.


Em casos graves, a hospitalização com isolamento respiratório é recomendada, especialmente para lactentes gravemente enfermos.


Durante a fase paroxística, quando os ataques de tosse são mais intensos, medidas como sucção para remover o excesso de muco da garganta podem ser vitais.


Além disso, em lactentes, pode ser necessário oxigênio e procedimentos como traqueostomia ou entubação nasotraqueal.


Antibióticos administrados na fase catarral podem melhorar a doença, e o tratamento visa limitar a disseminação da infecção.


O período de isolamento é recomendado para pacientes em tratamento domiciliar, especialmente lactentes suscetíveis, por pelo menos quatro semanas após o início da doença e até que os sintomas desapareçam.


No entanto, após a fase paroxística estabilizar, os antibióticos geralmente não têm efeito clínico significativo.


Nos bebês diagnosticados com coqueluche, frequentemente é necessária a hospitalização, especialmente porque os sintomas podem ser mais graves nessa faixa etária, segundo o Ministério da Saúde.


Prevenção e vacinação


A pasta ainda destaca que a prevenção é crucial para o controle da coqueluche. A imunização por meio de vacinas é a abordagem mais eficaz.


A vacinação contra coqueluche é parte do calendário de vacinação infantil, sendo administrada em doses múltiplas nos primeiros anos de vida.


Os CDC reforçam que a imunização não apenas protege indivíduos, mas também ajuda a interromper a cadeia de transmissão da doença.


A coqueluche, apesar de ser uma enfermidade prevenível, continua a apresentar desafios devido a fatores como variações na imunidade e hesitação vacinal.


Compreender seus sintomas, transmissão e a importância da vacinação é fundamental para a saúde pública e a proteção individual.


Tomate tem propriedades anticancerígenas, protege o coração e ajuda a dormir bem


Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEPTAR
Aviso de cookies
Translate »