Cientistas fazem renúncia coletiva de medalha entregue por Bolsonaro – 06/11/2021 – Ciência

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Cientistas com condecorações da Ordem Nacional do Mérito Científico fizeram uma renúncia coletiva da medalha concedida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O gesto foi motivado pela exclusão de dois cientistas da lista de agraciados que haviam sido alvos de apoiadores do governo federal.

Mais de 20 cientistas assinaram a carta em apoio a Marcus Vinícius Guimarães Lacerda, pesquisador da Fiocruz, e Adele Schwartz Benzaken, diretora da Fiocruz Amazônia.

Nesta sexta-feira (5), em decreto publicado em edição extra do Diário Oficial da União, Bolsonaro anulou a admissão dos pesquisadores na classe de “comendador” por conhecimentos sobre ciências da saúde.

Os cientistas que assinam o documento afirmam estar honrados com a possibilidade de serem agraciados com “um dos maiores reconhecimentos que um cientista pode receber” no Brasil, mas salientam que a homenagem é oferecida por um governo que “não apenas ignora a ciência, mas ativamente boicota as recomendações da epidemiologia e da saúde coletiva”.

“Enquanto cientistas, não compactuamos com a forma pela qual o negacionismo em geral, as perseguições a colegas cientistas e os recentes cortes nos orçamentos federais para a ciência e tecnologia têm sido utilizados como ferramentas para fazer retroceder os importantes progressos alcançados pela comunidade cientifica brasileira nas últimas décadas”, declaram.

Lacerda foi o coordenador de um estudo no Amazonas feito em abril de 2020 que concluiu não haver benefícios no uso de altas doses de cloroquina em pacientes graves de Covid-19. Após a divulgação dos resultados da pesquisa, ele se tornou alvo de ameaças de morte e ofensas pessoais por parte de apoiadores do presidente, o que o fez andar com escolta armada no ano passado.

Já a diretora da Fiocruz Amazônia, Benzaken foi demitida do departamento que elaborava as políticas para prevenção, vigilância e controle de infecções sexualmente transmissíveis do Ministério da Saúde no início de 2019. A saída do cargo teria relação com uma cartilha voltada para a saúde de homens trans.

Os cientistas haviam recebido a condecoração por meio de um decreto presidencial publicado na última quinta-feira (4). Na ocasião, o próprio Bolsonaro recebeu a condecoração na classe Grã-Cruz.

Isso ocorreu pois as regras sobre a Ordem Nacional do Mérito Científico determinam que serão agraciados com a condecoração o presidente da República, o ministro da Ciência Tecnologia e Inovação, entre outros.

Antes da exclusão dos pesquisadores, o epidemiologista Cesar Victora já havia recusado o título de grão-cruz da ordem concedido pelo governo federal na última quarta-feira (3). Segundo carta-aberta escrita pelo médico, mesmo que seja um grande “reconhecimento para qualquer cientista brasileiro”, o deixou dividido por ter sido feito por uma gestão que “não apenas ignora, mas ativamente boicota as recomendações da epidemiologia e da saúde coletiva“.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »