Buracos negros so como bolas de pelo emaranhadas, propem fsicos

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


Espao

Redação do Site Inovação Tecnológica – 06/01/2022

Buracos negros s

A ideia prevalecente at agora era que um buraco negro teria um horizonte de eventos, um vazio e ento toda a sua massa concentrada no centro.
[Imagem: Bin Guo et al. – 10.3906/2111-13]

Paradoxo da informao

H anos os astrofsicos tentam encerrar o debate sobre o famoso paradoxo da informao de Hawking, o problema criado pela concluso de Stephen Hawking de que qualquer coisa que entra em um buraco negro nunca pode sair.

Esta concluso est de acordo com as leis da termodinmica, mas se ope s leis fundamentais da mecnica quntica.

“O que descobrimos com a teoria das cordas que toda a massa de um buraco negro no est sendo sugada para o centro,” prope o professor Samir Mathur, da Universidade Estadual de Ohio, nos EUA. “O buraco negro tenta comprimir as coisas at um ponto, mas ento as partculas so esticadas nessas cordas, e as cordas comeam a se esticar e expandir e se tornam uma bola de pelos que se expande para preencher todo o buraco negro.”

A teoria das cordas afirma que todas as partculas do Universo so feitas de minsculas cordas vibrantes, muito menores do que os quarks ou quaisquer outras hipotticas partculas fundamentais. E isso leva a concluses muito interessantes sobre buracos negros e buracos de minhoca. Por exemplo, a de que no h um “vcuo” entre o horizonte de eventos e a massa do buraco negro, como a maioria dos fsicos gosta de pensar.

Mathur e seus colegas desenvolveram um novo teorema sob esse paradigma para mostrar que a teoria da bola de pelos a soluo mais provvel para o paradoxo da informao de Hawking porque, com essa estrutura de pelos emaranhados como em uma bola de l, o buraco negro irradia como qualquer corpo normal, o que simplesmente elimina o paradoxo.

Irradiao dos buracos negros

Mathur publicou um estudo em 2004, no qual ele apresentou a teoria de que os buracos negros seriam semelhantes a bolas de l muito grandes e bagunadas – ele as chamou de “bolas de pelo”, que se tornam maiores e mais bagunadas medida que novos objetos so sugados. “Quanto maior o buraco negro, mais energia entra, e tanto maior se torna a bola de pelos,” explicou ele.

Depois dessa teoria de Mathur e de outros trabalhos semelhantes, “muitas pessoas pensaram que o problema estava resolvido”, comenta ele. “Mas, na verdade, uma parte das pessoas na prpria comunidade da teoria das cordas pensou que deveriam procurar uma soluo diferente para o paradoxo da informao de Hawking. Eles estavam incomodados porque, em termos fsicos, toda a estrutura do buraco negro havia mudado.”

A maioria dos estudiosos gosta de pensar pensar em um buraco negro como sendo um espao vazio com toda a sua massa no centro, a chamada singularidade. Outra teoria, a do famoso buraco de minhoca, por sua vez, sugere que os buracos negros podem ser uma extremidade de uma ponte no continuum espao-tempo, o que significa que qualquer coisa que entrar em um buraco negro pode aparecer na outra extremidade da ponte – a outra extremidade do buraco de minhoca – em um lugar diferente no espao e no tempo.

Buracos negros s

Contestando os buracos de minhoca

Para que a prpria noo de buraco negro funcione, contudo, alguma radiao de baixa energia tem que escapar em suas bordas.

isso que Mathur abordou agora, demonstrando um teorema – ele o chama de “teorema das pequenas correes efetivas” – para mostrar que, se isso acontecesse, os buracos negros no pareceriam irradiar como o fazem. “Provamos o ‘teorema das pequenas correes efetivas’ para mostrar que tal comportamento de horizonte efetivo no compatvel com o requisito de que o buraco negro irradie como um pedao de carvo visto de fora. Este teorema, portanto, concretiza o fato de que as propostas dentro do paradigma do buraco de minhoca requerem alguma no-localidade ligando o buraco e sua radiao distante,” concluiu a equipe.

Os pesquisadores tambm examinaram as propriedades fsicas dos buracos negros, incluindo a mudana de topologia na gravidade quntica, para determinar se o paradigma do buraco de minhoca funcionaria.

“Em cada uma das verses que tm sido propostas para a abordagem do buraco de minhoca, descobrimos que a fsica no era consistente,” disse Mathur. “O paradigma do buraco de minhoca tenta argumentar que, de alguma forma, voc ainda pode pensar no buraco negro como estando efetivamente vazio com toda a massa no centro. E os teoremas que provamos mostram que tal imagem do buraco no uma possibilidade.”

Bibliografia:

Artigo: The elastic vacuum
Autores: Samir D. Mathur
Revista: International Journal of Modern Physics D
DOI: 10.1142/S0218271821410017

Artigo: Contrasting the fuzzball and wormhole paradigms for black holes
Autores: Bin Guo, Marcel Hughes, Samir Mathur, Madhur Mehta
Revista: Turkish Journal of Physics
DOI: 10.3906/2111-13

Artigo: Constructing hair for the three charge hole
Autores: Samir D. Mathur, Ashish Saxena, Yogesh Srivastava
Revista: Nuclear Physics B
DOI: 10.1016/j.nuclphysb.2003.12.022

Seguir Site Inovação Tecnológica no Google Notícias

Outras notcias sobre:

Mais tópicos

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »