Buracos e corte de verba para rodovia em SC geram críticas em reduto de Bolsonaro – 17/12/2021 – Mercado

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


A má conservação do trecho de Santa Catarina da BR-470 e o recente corte de verbas federais para obras de duplicação da rodovia geraram críticas ao governo de Jair Bolsonaro (PL) em um dos principais redutos eleitorais do presidente. As reclamações se direcionaram também ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, possível candidato a governador de São Paulo.

Bolsonaro obteve em Santa Catarina 66% dos votos válidos no primeiro turno das eleições de 2018 e 76% no segundo.

Fotos com buracos no pavimento ruim da rodovia se tornaram até memes na internet.

Em setembro, a União iniciou uma operação tapa-buracos em trechos mais problemáticos da BR-470. A solução, porém, é paliativa, segundo Eduardo Schroeder, ex-coordenador da câmara técnica sobre a rodovia do Condesul (Conselho de Desenvolvimento Econômico de Rio do Sul) e presidente eleito da entidade.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) confirmou que há trechos da BR-470 com estado de conservação ruim, principalmente no interior de Santa Catarina. O órgão declarou que reporta periodicamente os problemas ao Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) para que tome providências.

A BR-470 cruza o interior gaúcho e catarinense. Em Santa Catarina, passa por cidades como Curitibanos, Blumenau e chega até Navegantes, no litoral. Ajuda também no acesso ao porto de Itajaí, importante para exportações de produtos do estado.

Em 2011, a então presidente Dilma Rousseff (PT) prometeu duplicar 73 km da BR-470, entre Indaial e Navegantes. As obras deveriam ter sido concluídas em 2017, mas chegaram em maio deste ano com 50% do seu cronograma de execução concluído.


Os atrasos fizeram com que o governo estadual se comprometesse a investir R$ 300 milhões no projeto federal para acelerá-lo. Um acordo entre o ministro Tarcísio e o governador Carlos Moisés (sem partido) foi assinado em setembro para viabilizar a ajuda do estado à União.

Acontece que, em novembro, o próprio governo federal retirou do orçamento do Dnit R$ 25 milhões que seriam destinados à duplicação da BR-470. O corte, formalizado numa portaria do Ministério da Economia, surpreendeu políticos catarinenses e levou até aliados a criticarem Bolsonaro.

“Sou simpático a Bolsonaro. Fui eleitor do presidente. Mas não posso admitir um corte desses”, disse o deputado estadual João Amin (PP), presidente da Comissão de Transportes da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) e filho do ex-governador e hoje senador Espiridião Amin (PP). “É inconcebível.”

Outro político e eleitor declarado de Bolsonaro que se manifestou contra a medida foi o prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt (Podemos). Segundo ele, o corte de recursos foi uma surpresa e reforça o que chamou de abandono federal a uma das rodovias mais importantes para a economia de Santa Catarina.

Esse abandono fica mais evidente nos trechos da BR-470 que sequer foram incluídos no projeto de duplicação em andamento, segundo Schroeder.

De acordo com ele, uma série de buracos na estrada fazem com que uma viagem de 90 km por áreas que sequer estão em obras da BR-470 dure até três horas.

Os buracos viraram, principalmente entre outubro e novembro, tema de piadas e protestos na internet. “Vergonha da situação calamitosa que chegamos! Reeleição nunca mais pra essa tropa!”, postou o empresário Gustavo Rahmeier, de Rio do Sul, citando Bolsonaro, Tarcísio e outros.

O músico regional Zé Barth, de Apiúna, divulgou em junho uma música pedindo que Tarcísio não esquecesse dos catarinenses e consertasse a BR-470. Em outubro de 2018, ele havia homenageado Bolsonaro com outra música.

“Até quem votou em Bolsonaro não consegue mais defendê-lo”, disse a deputada estadual Paulinha (sem partido). “O presidente vem para cá só para passear de moto? Não dá.”


Paulinha disse que a BR-470 é uma das rodovias com mais acidentes fatais em Santa Catarina. Dados da PRF (Polícia Rodoviária Federal) apontam que, só em 2021, 50 pessoas já morreram na estrada. Só no primeiro final de semana de dezembro, foram seis mortes.

Procurado, o Dnit não se pronunciou sobre a BR-470.

O Ministério da Infraestrutura não comentou o estado da rodovia e nem os prazos para conclusão de obras de duplicação e recuperação.

Sobre o corte de R$ 25 milhões no orçamento destinado à duplicação, o ministério disse que ele é um “remanejamento temporário sem qualquer prejuízo para os empreendimentos”. Segundo o ministério, “a reposição dos recursos cancelados está em planejamento do Dnit para o início de 2022”.

O governo federal ainda informou que obras em Santa Catarina têm sido priorizadas. “Ao longo de 2021, mais R$ 120 milhões já tinham sido suplementados para as ações do Dnit no estado. Dessa forma, os recursos atualmente alocados pelo governo federal são suficientes para garantir o andamento das obras.”

Estudos realizados pelo governo federal indicam que a BR-470 precisa ter cerca de 240 km duplicados, de Navegantes a Monte Alegre, no cruzamento com a BR-116. O projeto de duplicação atual abrange menos de um terço do total desse trecho.

O governo de Santa Catarina não se pronunciou sobre o aporte de recursos estaduais no projeto federal nem sobre o corte de recursos da União para a duplicação da BR-470.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »