Bolsonaro entrou na lista de democratas de Biden – 09/11/2021 – Nelson de Sá

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


O site Politico, de Washington, hoje controlado por um grupo alemão de imprensa, obteve a lista dos governos convidados para a Cúpula da Democracia de Joe Biden.

O brasileiro Jair Bolsonaro é um dos nomes para o encontro que deve reunir cerca de cem governantes, nos dias 9 e 10 de dezembro –e não será mais, como projetado inicialmente, presencial. Cada um terá “só uns poucos minutos para falar” por vídeo.

O Politico ouve de um acadêmico americano a crítica de que o encontro vai passar ao largo, por exemplo, dos regimes que “estão mostrando regressão” democrática.

A Reuters, que confirmou a relação de países divulgada pelo site, reportou que a “Lista de convidados problemática lança uma sombra sobre o impacto” da cúpula (acima).

A agência de notícias contrasta a presença de Israel e Iraque com a ausência da Turquia, o convite a Polônia e Filipinas com a omissão da Tailândia.

E ouve de ativistas que “o convite para países com histórico problemático de direitos humanos levanta dúvida sobre a credibilidade do evento”.

Muitos na lista nem podem ser descritos como democracias, caso do Congo, diz o site republicano (antiTrump) The Bulwark, vendo “considerações geoestratégicas que diluem a mistura democrática”.

O site questiona o porquê da cúpula, se ela for “apenas uma reunião de países-de-que-a-América-precisa, sem nenhum outro critério”.

ALIANÇA CONTRA A CHINA

Além da lista, o Politico teve acesso à proposta que Biden deve levar à cúpula, de criar uma Aliança para o Futuro da Internet, que deixa claro seu alvo:

“A formação desta Aliança é resposta ao surgimento de uma visão alternativa da internet como ferramenta de controle estatal promovida por potências autoritárias como a China e a Rússia.”

GUERRA TECNOLÓGICA

A Caixin destaca que a TSMC, gigante de chips sediada em Taiwan, “garante a confidencialidade dos clientes ao enviar dados para Washington”, que havia cobrado sua cadeia de suprimentos, com ameaças. A TSMC não teria cedido informações sobre empresas chinesas.

Já outras publicações, como o também financeiro Beijing Shang Bao, enfatizam que o governo taiwanês permitiu a “extorsão” americana.

NYT E WP NO CERCO À EXTREMA-DIREITA

Os dois maiores jornais americanos próximos ao governo Biden se voltaram contra as plataformas usadas pela base de Bolsonaro, agora que ela vem sendo afastada por Facebook, YouTube e Twitter.

No Washington Post (título no alto, acima), “Gettr, Parler e Gab encontram uma base de fãs na extrema-direita do Brasil”, e no New York Times, “Defensores da desinformação de extrema-direita no Brasil encontram espaço seguro no Telegram”, o concorrente russo do americano WhatsApp.


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »