Ataque a tiros no Líbano deixa ao menos 6 mortos e expõe agravamento da crise política – 14/10/2021 – Mundo


Ao menos seis pessoas foram mortas e mais de 30 ficaram feridas nesta quinta-feira (14) em Beirute, capital do Líbano, em um tiroteio que, segundo as autoridades, foi um ataque contra apoiadores do grupo xiita Hizbullah. Eles estavam se dirigindo a uma manifestação nas ruas pela remoção do juiz que investigava a megaexplosão que praticamente destruiu a cidade em agosto do ano passado.

Em um comunicado, o Exército libanês disse que os tiros atingiram os manifestantes enquanto eles passavam por uma rotatória em uma região dividida entre bairros cristãos e xiitas.

O primeiro-ministro Najib Mikati, indicado ao cargo em setembro depois de 13 meses em que o país ficou sem comando formal, pediu calma à população. O ataque, porém, já considerado um dos piores conflitos civis do Líbano em anos, destaca o aprofundamento das múltiplas crises que atingem o país, em especial o impasse político acerca da investigação da explosão catastrófica em Beirute.

Uma emissora de TV que pertence ao Hizbullah se referiu às vítimas do ataque como “mártires”, indicando que mortos e feridos eram muçulmanos xiitas.

Segundo testemunhas ouvidas pela agência de notícias Reuters, barulhos de tiros foram ouvidos na região do bairro Ain el-Remmaneh durante várias horas, além dos sons de explosões que pareciam ser foguetes disparados para o ar.

O Exército libanês deslocou um grande contingente para a área e disse que abriria fogo contra qualquer pessoa armada na estrada.

As tensões políticas no país aumentaram nos últimos dias depois que o Hizbullah passou a defender com mais veemência a remoção de Tariq Bitar, o juiz responsável pela investigação da explosão no porto de Beirute.

O magistrado procurou interrogar vários políticos e oficiais de segurança suspeitos de negligência, incluindo aliados do grupo xiita. Todos negaram irregularidades. O Hizbullah, no entanto, acusa Bitar de conduzir a investigação de forma enviesada.

Na última terça-feira (12), o inquérito sobre a megaexplosão foi interrompido pela segunda vez em três semanas após novas críticas à conduta do juiz, que havia emitido mandados de prisão para dois parlamentares que não responderam a intimações para interrogatório.

Mais cedo, nesta quinta, um tribunal rejeitou as acusações contra Bitar, segundo documentos consultados pela Reuters. A decisão permitiu a retomada da investigação, que trabalha com a hipótese de que os deputados sabiam dos riscos de explosão do nitrato de amônio armazenado no porto, mas nada fizeram para impedi-la. O episódio deixou mais de 200 mortos, 6.000 feridos e destruiu bairros inteiros da capital libanesa. Depois, o país mergulhou em uma espiral de protestos da população e uma profunda crise política e econômica.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

Deixe um comentário

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEITAR
Aviso de cookies
Translate »