Anvisa completa três anos sem divulgar análise da presença de agrotóxicos em alimentos | Jornal Nacional

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária completou três anos sem divulgar os resultados das análises da presença de agrotóxicos nos alimentos.

Maria Donizete está sempre de olho na qualidade do alimento quando vai ao supermercado.

“Preocupo, claro que tem preocupação. A gente sabe que está comprando e comendo uma coisa com mais qualidade”, diz.

O Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos foi criado para verificar a quantidade de elementos químicos em produtos importantes para a dieta do brasileiro, como alface, arroz, beterraba, cenoura, chuchu, laranja, tomate e uva. Com base nele, é possível orientar a fiscalização e tomar medidas para proteger o consumidor de algum risco.

Para fiscalizar a qualidade dos alimentos, agentes da Anvisa e das vigilâncias sanitárias de estados e municípios recolhem amostras de frutas, verduras e legumes em mercados de todo o país e levam para análise em laboratório. Mas, por causa da pandemia, em 2020 a Anvisa suspendeu esse programa e os resultados das últimas coletas – feitas em 2018 e 2019 – só serão informados no segundo semestre deste ano. Os últimos dados disponíveis foram divulgados três anos atrás.

A Anvisa diz que está se preparando para fazer uma nova coleta de amostras no segundo semestre. Por e-mail, a agência informou que suspendeu o programa nos últimos dois anos porque as equipes de vigilância precisaram priorizar as atividades da linha de frente de combate à pandemia.

A Anvisa disse que não cogitou a divulgação parcial dos dados colhidos em 2018 e 2019 porque a avaliação do risco aos consumidores demanda a análise global de todos os resultados do ciclo; que a retomada do programa depende de uma coordenação entre todos os órgãos que fazem parte da iniciativa para que não haja risco de desperdício de amostras ou de sobrecarga aos laboratórios; e que a volta do monitoramento dos alimentos vai contribuir para a segurança alimentar, orientando as ações dos órgãos de controle bem como as cadeias produtivas sobre as inconformidades existentes nos processos produtivos e incentivando a adoção das boas práticas agrícolas.

Atualmente, o Brasil tem dois programas para monitorar a quantidade de resíduos de agrotóxicos na comida: o da Anvisa, em supermercados, e um do Ministério da Agricultura, que analisa os vegetais que estão nas propriedades rurais e em centrais de abastecimento. E o último levantamento do Ministério da Agricultura disponível é referente aos anos de 2019 e 2020.

A toxicologista e pesquisadora da Associação Brasileira de Saúde Coletiva Karen Friedrich diz que a falta de informações precisas prejudica a fiscalização.

“A experiência da Anvisa na análise de agrotóxicos já tem muito tempo, são 20 anos mais ou menos desse programa. Então, é importante a Anvisa retomar essa expectativa que a população tem nas suas atividades, que foram muito importantes no passado. Quando se divulga os resultados, primeiro que é um direito à informação que todos nós temos de saber o que a gente está comendo, mas principalmente porque essas ações da Anvisa vão subsidiar, orientar a fiscalização no campo”, afirma.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

1548234083 file be0b03d8 Vision Art NEWS

Este site usa cookies para que você tenha a melhor experiência do usuário. Se continuar a navegar, dará o seu consentimento para a aceitação dos referidos cookies e da nossa política de cookies , clique no link para obter mais informações. CONFIRA AQUI

ACEPTAR
Aviso de cookies
Translate »